V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Noite do jaleco

Universidade Tiradentes recepciona calouros de Medicina

às 18h11
A Universidade Tiradentes realizou mais uma edição da Noite do Jaleco na última sexta-feira, 28 de julho. A cerimônia marca o início da vida acadêmica dos calouros do curso de Medicina. Cerca de cem estudantes receberam o jaleco das mãos dos familiares e professores, em um auditório lotado. A solenidade aconteceu do Bloco G, Campus Aracaju Farolândia, e contou com uma palestra sobre competências na educação médica, ministrada pelo professor Francisco Prado Reis, mestre em Anatomia pela Escola Paulista de Medicina; doutor em Ciências Biológicas pela USP, com pós-doutorado pelo Institut Pasteur de Lyon – França.
Cerca de cem alunos receberam jaleco
Cerca de cem alunos receberam jaleco
Mariana seguiu os passos do irmão, Lucas
Prof. Francisco Prado fala sobre competências na educação médica
Solenidade contou com participação dos aluno do Cajab
Professor Richard Halti ressalta metodologias inovadoras
Temisson dos Santos: "Curso de Medicina cumpre papel social importante"
Compartilhe:

Fotos: Luiz Dinarte

Aos 18 anos, Mariana Guimarães Nolasco Farias decidiu seguir os passos do irmão Lucas, aluno do décimo semestre. “Acho uma profissão belíssima e tinha o exemplo de meu irmão, que já é estudante de Medicina da Unit, apaixonado pelo curso e me inspirou muito. Minha expectativa é a melhor, pois os professores são excelentes, a infraestrutura é muito boa e estou animada para estudar. Vestir o jaleco pela primeira vez me faz sentir um pedacinho médica, mas sei que ainda tenho um caminho longo para percorrer”, comenta Mariana.

A advogada Ana Patrícia Barreto Guimarães Farias, mães de Lucas e Mariana, não conteve a emoção de entregar o jaleco a um filho pela segunda vez. “É maravilhoso! Cada filho é um ser especial, um presente divino e a gente comemora cada conquista, de cada um deles, da mesma forma. Estou vivendo a mesma emoção, muito feliz por ver que eles estão realizando sonhos e que nós conseguimos proporcionar que eles conseguissem chegar a essa realização”, comemora.

“O jaleco não é somente um símbolo de respeito e cuidado com o paciente. Serve também para lembrar ao médico que ele deve se cuidar, pois funciona como se fosse uma barreira para diminuir a possibilidade de contaminação, ou seja, para o médico poder cuidar bem do outro, precisa cuidar bem de si. Entrar para um curso de Medicina exige muita responsabilidade e nós queremos, desde o começo, incutir os princípios da responsabilidade, do respeito e da necessidade de se dedicar à profissão”, ressalta o coordenador do curso, professor Richard Halti Cabral.

Ainda segundo Richard, os calouros de Medicina encontram na Unit um curso moderno, que disponibiliza todas as metodologias mais avançadas que existem para que eles tenham uma formação profissional de excelência, sem deixar de lado a parte humanística. “Nós utilizamos metodologias ativas, em que o aluno passa a ser protagonista da produção do seu conhecimento e, com todos os cenários e práticas que dispomos, adquire as competências e habilidades que se espera de um médico bem formado”, garante.

“O curso de Medicina da Unit nasceu num momento de grande necessidade de suprir uma carência de médicos no Estado de Sergipe e no Nordeste como um todo. Iniciamos com 50 vagas anuais, mas, em função da necessidade regional e da demonstração de capacidade, da qualidade dos profissionais e da infraestrutura da universidade, nós conseguimos ampliar essas vagas, cumprindo um papel social importante”, analisa o superintendente acadêmico do Grupo Tiradentes, professor Temisson José dos Santos.

Compartilhe: