V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Setembro Amarelo: bate-papo discute e propaga informações preventivas

Ação promovida pela Clínica de Psicologia objetiva à propagação de informações sobre a prevenção do suicídio e alerta a comunidade acadêmica para o problema

às 19h25
A comunidade acadêmica esteve sensibilidada para discutir o tema
A comunidade acadêmica esteve sensibilidada para discutir o tema
O Psiquiatra César Santiago
Os professores Hesmoney e Jaqueline
Compartilhe:

Por Nivaldo Menezes e Raquel Passos

Motivados pela campanha Setembro Amarelo, que evidencia a necessidade de prevenir o suicídio, professores e estudantes do curso de Psicologia da Universidade Tiradentes – Unit – realizaram um bate-papo sobre o tema no último dia 18, no mini shopping do Campus Farolândia.

“É necessário enfatizar que o nosso trabalho para essa demanda da ideação suicida é um enfrentamento que realizamos ao longo dos anos, temática trabalhada nos cursos da área da Saúde”, conta a coordenadora da Clínica de Psicologia da Unit, professora Jaqueline Caldeira.

O diretor da área da Saúde da Unit, professor Hesmoney Santa Rosa, lembra que a ideação do suicídio há algumas décadas atingia pessoas com mais idade. “O que merece atenção é que o problema além de ter aumentado e número de casos, estamos percebendo que nos dias de hoje a população mais jovem se torna vítima potencial”, pondera.

É preciso informar

Para a professora preceptora Jamille Figueiredo, a proposta de promover a palestra em espaço aberto visa garantir a democratização de informação sobre o tema para toda a comunidade acadêmica e também para a sociedade. Segundo ela, o suicídio é um fenômeno possível de ser prevenido e uma das estratégias de enfrentamento é o viés educativo,.

“A ideia é que o evento desperte a atenção daquelas pessoas que desejam entender sobre o fenômeno do suicídio, que é algo que está na nossa sociedade. É importante saber como lidar com as questões referentes ao sofrimento, ao adoecimento, uma vez que, quando a abordagem é o suicídio, fala-se mais de vida do que de morte”, afirma a professora Jamille.

Já o psiquiatra César Santiago acredita que o segredo é fazer com que o assunto seja intensivamente propagado para estimular que cada vez mais pessoas procurem ajuda. “O suicídio tem sido tema de muitas discussões porque antes a gente negava muito a sua existência. O assunto era algo evitado. Hoje, com o advento da campanha Setembro Amarelo e diversas outras campanhas, podemos falar mais sobre o tema”, afirma o psiquiatra.

Compartilhe: