V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Outubro Rosa também é coisa de homem

Curso de Enfermagem da Unit realizou bate-papo para lembrar da importância da figura masculina no enfrentamento ao câncer de mama.

às 18h35
A cultura antiga do homem de quase não se importar em se cuidar começa a ser quebrada com pequenos atos. A coordenação de estágio do curso de Enfermagem da Universidade Tiradentes – Unit – e a Liga Acadêmica de Saúde Coletiva organizaram um bate-papo na noite desta terça-feira, 18, no campus Farolândia, com o tema: ‘Câncer de mama feminino também é problema de homem’.
Outubro Rosa tem abordagem voltada aos homens
Outubro Rosa tem abordagem voltada aos homens
Professores fizeram parte do bate-papo
Compartilhe:

A ideia, segundo a professora organizadora Juliana Musse, é alertar quanto aos cuidados necessários que todos devem ter em relação ao tema, trazendo a discussão do Outubro Rosa, sobre a saúde da mulher voltada também para a visão masculina. “Atualmente, o cenário é outro. A gente fez questão de ter a participação masculina no debate para também atribuir responsabilidade aos parceiros e familiares homens. Pesquisas apontam a importância do papel do homem no enfrentamento desse tipo de doença na família. Levantamos questionamentos sobre o papel deles na família como multiplicador de conhecimento e na prevenção de doenças junto à mulher. Raramente eles falam sobre a necessidade de elas procurarem um ginecologista, mastologista, e sequer falam sobre câncer”, avalia.

O objetivo é mostrar que os homens podem ser multiplicadores de conhecimento no universo feminino, seja entremãe, esposa, amiga ou parente. O professor de psicologia da saúde, Gledson Lima, foi convidado a participar da mesa redonda. “De acordo com pesquisas, o câncer de mama atinge muito mais o gênero feminino, no entanto, quando atinge o 1% no homem, a doença vem mais agressiva, mas muitos deles ainda desconhecem esse dado porque não há ainda uma cultura de preocupação por parte dos homens que é preciso prevenir”, comenta.

Aluno do 10º período de Enfermagem, Maiko Antônio é vice-presidente da Liga Acadêmica de Saúde Coletiva e é engajado na causa para alertar à comunidade masculina sobre o assunto. “Infelizmente, muitos homens têm concepção que o câncer de mama não os atinge. Porém, temos dados que comprovam mortes de pessoas do gênero masculino justamente por conta do câncer de mama. Pelo fato de que a maioria ainda não gosta de cuidar da saúde. Por isso, trazemos essa abordagem no Outubro Rosa”, lembra.

Colaboradores, professores e alunos, principalmente homens, participaram do bate-papo.

Compartilhe: