V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Pesquisadores do LCEM desenvolvem trabalhos com resíduos orgânicos

Proposta é conscientizar estudantes sobre questões ambientais

às 13h35
Compartilhe:
Pesquisa é desenvolvida no Instituto de Tecnologia e Pesquisa - ITP

Pesquisa é desenvolvida no Instituto de Tecnologia e Pesquisa – ITP na Unit

Compostagem é o processo biológico que consiste em deixar fermentar resíduos agrícolas e urbanos (gorduras domésticas), misturados ou não em terra vegetal. Pesquisadores do Laboratório de Catálise, Energia e Materiais – LCEM, localizado no Instituto de Tecnologia e Pesquisa – ITP, na Universidade Tiradentes, desenvolvem pesquisa a partir deste processo. O projeto de Compostagem em Resíduos Orgânicos, por exemplo, existe desde 2005 no ITP sob responsabilidade do professor Renan Tavares. Inicialmente, o projeto aprovado pela Fundação de Apoio à Pesquisa e Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe – Fapitec –, era desenvolvido em cooperação com a Prefeitura do município de Boquim. A época, a proposta era suprir a necessidade da produção e facilitar o crescimento das mudas de laranjas dos produtores de Boquim, com sobras de alimentos conseguidos em feiras da cidade e poda de árvores. Atualmente, o projeto é desenvolvido com alunos de graduação e pós-graduação para trabalhar questões de conscientização ambiental dos estudantes, do contato com a matéria orgânica e da problemática da biomassa residual.

“É uma solução para resolver vários problemas como por exemplo o do lixo, de biofertilizantes, da identificação do ser humano com a natureza. É um processo utilizado na agricultura familiar e por pequenos agricultores. Nossa ideia é divulgar para que as pessoas façam em suas casas”, ressalta o docente.

Para a compostagem são utilizadas ferramentas como triturador de resíduos orgânico, pá, inchada, tonel para armazenamento do húmus, dentre outros materiais. Os resíduos usados nas pesquisas são adquiridos na própria universidade. “Selecionamos o material residual orgânico produzido na Unit semanalmente, uma ou duas lidas, como instrução e educação ambiental”, completa Renan Tavares.

A proposta do projeto ganhou a atenção de docentes e, principalmente, estudantes. Dentre eles está o egresso de Engenharia Ambiental e mestrando do Programa de Engenharia de Processos, Pedro Campelo. Pedro acompanha as pesquisas desde o início. “Acho muito importante o envolvimento dos alunos com a pesquisa. Estava no primeiro período quando entrei como aluno de iniciação científica”, pontua. O mestrando participa de pesquisas com energia solar no Programa de Pós-Graduação e pretende estender as atividades para um possível doutorado. “O projeto que estou envolvido abre uma perspectiva de longa duração e somente o mestrado não será suficiente para finaliza-lo”, alega.

Prof. Renan Tavares e Pedro Campelo integram equipe do LCEM

Prof. Renan Tavares e Pedro Campelo integram equipe do LCEM

MAIS PESQUISAS

O Laboratório de Catálise, Energia e Materiais – LCEM também desenvolve pesquisas com fertilizantes sólido e líquido, como por exemplo, a Minhocultura e o Biogeo, respectivamente.

 

Fotos: Marcelo Freitas

Compartilhe: