V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Professora melhor avaliada

Lorena Ribeiro foi reconhecida pelos alunos como melhor professora diante da avaliação docente e ganhou ingressos para o Grande Prêmio da Fórmula 1, no domingo passado.

às 18h30
A Universidade Tiradentes – Unit – reservou a premiação de ingressos para o GP Brasil de Fórmula 1 ao professor que leciona para um público acima de 250 alunos, que fosse reconhecido, por eles, como o melhor docente. Desse grupo avaliado, a professora Lorena Costa Ribeiro, do curso de Direito, esteve no último domingo, 13, em Interlagos, em São Paulo (SP), onde ocorreu o evento.
Professora Lorena Costa durante GP de Fórmula 1
Professora Lorena Costa durante GP de Fórmula 1
Professora Lorena Costa Ribeiro foi ao GP de Fórmula 1 (Fotos: Arquivo pessoal)
Professora foi reconhecida pelos alunos na avaliação docente
Compartilhe:

Para a professora Lorena, o resultado foi uma grata surpresa. “Particularmente, nem sabia do prêmio em si. Tinha muita vontade de assistir a Fórmula 1 e essa foi uma oportunidade especial até porque, coincidentemente, ontem foi meu aniversário”, revela. Segundo ela, alguns critérios foram avaliados, como assiduidade, cumprimento do conteúdo programático e didática aplicada. “Semestralmente, a Unit abre avaliação docente pelo discente. Eles entram pelo Magister e avaliam todos os professores. De acordo com esses dados, gera uma média para o professor e a minha foi considerada a mais alta dessa vez”, explica a professora de Direito Civil e Constitucional.

Após a computação dos dados, a professora Lorena busca os resultados com o intuito de melhorar sua prática docente. “Acho uma iniciativa muito válida. Sempre acompanho a minha. Desde o primeiro semestre que leciono aqui na Unit, faço isso e gosto porque é uma forma de feedback. Com base nessa avaliação, a gente consegue fazer um trabalho melhor. Acho muito interessante. Eu sabia que a minha nota era uma boa, mas não imaginava que seria tão representativa assim. O que influenciou nesse caso é que os alunos não são obrigados a fazer a avaliação, mas a gente incentiva. Tem professores com nota maior que a minha, mas o número de alunos avaliadores menor”, conta.

De acordo com o coordenador da Comissão Própria de Avaliação da Unit, professor Adailton Barroso, desde 2004, a lei do Sistema Nacional de Avaliação do Ensino Superior, definida pelo Ministério da Educação, decide que as Instituições do Ensino Superior devem ter suas comissões próprias de avaliação. “O objetivo é fazer o que o próprio nome sugere que são as avaliações internas dos processos de prática docente, de infraestrutura, de política de gestão e tudo referente à comunidade acadêmica”.

“Ao final das unidades, uma das avaliações que fazemos é a avaliação nominal docente, que retrata a prática do professor em sala de aula. Há ainda outra avaliação, da gestão acadêmica voltada ao desempenho dos coordenadores e a institucional que é realizada a cada dois anos para aferir dados desde política de atendimento à infraestrutura”, explica o professor.

“Participar de um evento como o Grande Prêmio de Fórmula 1 foi uma experiência gratificante e inesquecível. É emocionante ver aqueles carros passando perto de você a quase 300 km/h”, relata professora Lorena.

Compartilhe: