V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Projeto visa construir indicadores sobre Competência Digital

O doutorando do Programa de Pós-Graduação em Educação da Unit, Daniel Bramo, desenvolve o projeto em parceria com a Secretaria de Educação e Universidade de Aveiro.

às 23h08
Compartilhe:

Daniel Bramo Nascimento é egresso do curso de História da Universidade Tiradentes. Com mestrado pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Unit, atualmente faz doutorado pelo mesmo programa da instituição de ensino. O atual projeto busca construir indicadores sobre Competência Digital, em parceria com a Secretaria de Educação e Universidade de Aveiro, em Portugal.

O doutorando sempre quis seguir a carreira acadêmica. Os primeiros passos foram dados ainda na graduação, por meio da Iniciação Científica. “Conheci a Iniciação Científica em 2013, quando estava no 4º período, pois haviam me falado que, para seguir carreira acadêmica, eu precisaria estar em um grupo de estudo e participar de projetos que me ajudariam em minha formação como pesquisador”, comenta. 

“Eu me inspirava muito em meus professores da graduação, como os professores Rogério Freire, Silvânia Santana, Daniel de Castro e Ana Luise Mecenas, entre outros. Naquele momento, percebi que se quisesse ser como eles, precisaria ir um pouco mais além. Foi então que conheci o professor Cristiano Ferronato e, a partir dele, conheci o professor Ronaldo Linhares e o Grupo de Estudos e Pesquisa Comunicação, Educação e Sociedade – Geces, que me acolheu e no qual permaneço desenvolvendo atividades e projetos até hoje”, acrescenta Daniel.  

O pesquisador relembra a entrada no grupo de pesquisa. “No primeiro dia em que me reuni com o professor Ronaldo para que ele assinasse o meu ingresso no projeto de pesquisa, ele, por cima dos óculos, me perguntou por que eu queria fazer pesquisa. Eu apenas respondi que pretendia fazer mestrado e seguir carreira acadêmica. Só depois eu percebi que estar na Iniciação Científica era muito mais que apenas conseguir ingressar no mestrado, mas sim dar o primeiro passo para aprender um pouco sobre o universo que é a pesquisa científica”, salienta. 

O primeiro projeto de que Daniel participou tinha como objetivo aferir o nível de alfabetização informacional de um grupo de alunos do campo da Educação a Distância, que fazia parte de um grande projeto de doutorado na Universidade Complutense de Madrid, na Espanha. Seis meses depois, iniciou um novo projeto, sobre Cinema, Educação e História.  “Nesse projeto, eu tomei a frente e o objetivo era descobrir ‘se’ e ‘como’ os professores dos cursos de história da Unit e da UFS usavam filmes na formação de futuros professores de História do Estado de Sergipe”, declara.

“Passamos um ano levantando documentação, lendo toda a bibliografia e entrevistando os professores das duas universidades, e conseguimos escrever bons textos sobre o material. Esse projeto foi muito gratificante para mim, tanto que o cinema se tornou objeto da minha pesquisa no mestrado, onde eu desenvolvi um estudo que investigava o uso de filmes sugeridos nos livros didáticos de História por professores da rede pública municipal de Aracaju, durante os anos de 2017 e 2019”, complementa.

No projeto atual, a partir da construção dos indicadores sobre competência digital, o pesquisador idealizará um modelo de formação continuada que contribua para que os professores possam pensar novas estratégias e metodologias de ensino pensando na cultura digital do século XXI. “Assim, a Universidade de Aveiro contribui com o instrumento de coleta de dados, a Seduc com o importante apoio na aplicação destes instrumentos com os mais de seis mil professores e a Unit, oferecendo a estrutura e materiais que possibilitam as reflexões acerca dos resultados colhidos durante a pesquisa. Espero fechar todas essas etapas com a minha tese e gerar outros projetos”, destaca.  

“Estamos nos últimos ajustes para disparar o questionário para os professores. Por ser um instrumento de outro país, precisamos adaptar a linguagem e alguns objetivos para a nossa realidade. Depois disso, vamos analisar os dados e ver como podemos contribuir com um modelo de formação continuada para os professores de forma ampla e gratuita”, explica. 

“O projeto tem a sua importância quando analisamos a sociedade em que vivemos hoje. Quase tudo que fazemos é por meio das tecnologias digitais. Levar essas tecnologias para o ensino pode contribuir não só para ampliar as possibilidades pedagógicas na sala de aula, mas também contribuir para a formação de um sujeito mais preparado para os diferentes desafios que a sociedade digital impõe todos os dias”, finaliza. 

Veja também: Pesquisa analisa os podcasts e sua importância na divulgação científica.

Compartilhe: