V E S T I B U L A R UNIT
MENU

A raça e o gênero nos meios de comunicação sob a ótica da academia

Debate sobre preconceito encerra ciclo de planejamento

às 00h16
Professores participam de debates com o objetivo de se prepararem para discussões sobre temas atuais em sala de aula
Professor Ronaldo Linhares  falas aos demais docentes
Professor Ronaldo Linhares falas aos demais docentes
A professora Valéria Bonini justifica o encontro
Compartilhe:

Por Nivaldo Menezes

Com a participação de professores convidados como Ronaldo Linhares e Antônio Bittencourt, a coordenação dos cursos de Comunicação Social realizou na noite dessa terça-feira, 6, na sala 52 do bloco D, no Campus Farolândia, uma Roda de discussão com cujo tema Raça e gênero na mídia brasileira mobilizou todos os professores de Jornalismo e Publicidade e Propaganda.

“A ideia foi proposta pela equipe da NDE dos cursos de Comunicação a partir das discussões estabelecidas no primeiro dia da nossa reunião de planejamento”, explica a coordenadora, professora Valéria Bonini. “O importante é que possamos discutir temáticas direcionadas a vulnerabilidade”, acrescenta a docente lembrando que todas as disciplinas, projetos de extensão e habilidades desenvolvidas durante o presente semestre na academia serão trabalhadas com temáticas voltadas a questões como raça e gênero. Esses temas estarão sempre direcionados a cada atividade disciplinar visando a necessidade de discutir a partir dos aspectos éticos e da mídia em geral com foco em experiências a partir do que é publicado nos meios de comunicação, especialmente nas mídias sociais.

“O propósito é analisar a forma como a mídia brasileira lida com essas questões diretamente relacionadas a ração e ao gênero”, salienta o professor Ronaldo Linhares lembrando que tanto o conceito de raça quanto o de gênero têm sido discutidos em todo o mundo atualmente. “Focamos numa análise de como o brasileiro atento e até viciado em mídias específicas vem lidando com isso desde a questão histórica do negro até as questões mais contemporâneas relacionadas a gênero”, complementa.

“A universidade tem que dialogar constantemente com o cotidiano e esse espaço aqui é formador de opinião. Cada professor tem diariamente uma interação constante com diversos alunos e sobretudo no universo da comunicação com alunos que são formadores de opinião também. Portanto, discutir essas temáticas na universidade pode representar um instrumento de quebra de forças conservadoras”, conclui o professor Antônio Bitencourt.

Se você deseja conhecer um pouco mais sobre o curso de Jornalismo da Unit, veja aqui algumas informações que podem contribuir para a escolha dessa profissão.

Compartilhe: