V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Saúde e Ambiente comemora trajetória de sucesso

Os problemas do Rio São Francisco são instrumentos de pesquisa para o Comitê da Bacia Hidrográfica

às 21h00
Considerado como tema indispensável na pauta de ambientalistas, estudiosos e pesquisadores, o Rio São Francisco mobilizou docentes e alunos do mestrado em Saúde e Ambiente na tarde dessa quarta-feira, 26, para discutir a sua bacia
O palestrante e membro do Comitê, professor Melchior Nascimento
O palestrante e membro do Comitê, professor Melchior Nascimento
A coordenadora do programa , doutora Cláudia
O professor Rubens Riscala Madi
Compartilhe:

 

O professor doutor Melchior Nascimento, um dos membros do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, trouxe para a academia informações relevantes sobre as principais iniciativas tomadas pelos estudiosos que integram o Comitê.

“Dentro do contexto acadêmico, o Comitê elege como um dos pilares o conhecimento por reconhecer que a solução dos problemas elencados dentro do seu plano de recursos hídricos passa pelo estreitamento com as instituições de ensino superior”, afirma o palestrante, professor da Universidade Federal de Alagoas.

Segundo ele, as IES possuem relevante importância como parceiras dentro do processo tanto na elaboração de projetos quanto na elucidação das diversas questões que são levantadas dentro do contexto do próprio Comitê.

O professor Rubens Riscala Madi lembra que esse é o 10º seminário realizado pelo Programa de Pós-Graduação em Saúde e Ambiente. “O evento ocorre durante toda a Sempesq, e como a Unit agora é membro do Comitê, convidei o professor Melchior para apresentar o trabalho à comunidade acadêmica”, afirma o docente lembrando que já existem pesquisadores desenvolvendo projetos na área.

“O 1º seminário em Saúde e Ambiente foi realizado quando o programa ainda era um núcleo, antes mesmo da aprovação pela Capes”, lembra a coordenadora, doutora Cláudia Moura de Melo, comemorando a grande evolução do programa ao longo desse tempo, já com mestrado e doutorado. “São aproximadamente 200 mestres formados em Saúde e Ambiente, 45 doutores em formação de um programa que está no pico da sua efervescência”, afirma.

engenharia_ambiental

Compartilhe: