V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Teoria curricular e Trabalho Docente são temas de palestra


às 19h53
Compartilhe:
Com o foco no trabalho docente

Com o foco no trabalho docente

O Brasil criou um modelo de avaliação e ainda não criou o seu sistema educacional, reconhece professor gaúcho durante palestra proferida na Unit.

A comunidade acadêmica, especialmente professores e alunos do Mestrado em Educação da Unit, além de bolsistas de Iniciação Científica participam na tarde desta quarta-feira, 14, de uma palestra proferida pelo professor doutor Jarbas Vieira, da Universidade Federal de Pelotas – RS, onde exerceu até bem pouco tempo a função de Pró-Reitor de Pós-Graduação.

Na condição de palestrante e por também ter sido um dos avaliadores da Capes nos APCNs de Mestrado e Doutorado em Educação, o convidado da Unit abordou em sua conferência o tema Teoria Curricular e Trabalho Docente.

Sob seu olhar, os organismos que respondem pela parte da política educacional no Brasil vêm investindo na redução da autonomia do professor em definir o seu processo de trabalho em sala de aula.  Ao levantar a discussão para o grupo de docentes da Unit, o professor Jarbas Vieira revelou sua preocupação com a formação docente lembrando que o País tem apenas um pouco mais de 40 anos de pós-graduação.

“Não se constrói uma nação sem pesquisa e sem ciência, independentemente da área em que os estudos possam avançar. Acho que as dimensões do País oferece espaço para atuação das universidades públicas e privadas, desde que, mantenham a seriedade de formar visando à autonomia científica”, opina o professor Jarbas Vieira. Ele diz que o Brasil perdeu a oportunidade histórica nos últimos 15 anos de criar um sistema educacional e constata que “o País optou por fazer uma estrutura de educação dividida por ONGs, e por interesses muito particulares de grupos de diferentes naturezas, controlando partes do ensino”.  Com isso o país perde a ideia de constituir uma carreira docente que dê autonomia para a educação básica no País.

Professor Jarbas Veira e a professora Ester Vilas-Boas

Professor Jarbas Veira e a professora Ester Vilas-Boas

As formas de avaliação que o professor está sofrendo hoje é que está orientando a política nacional. Ao contrário de outros países, o Brasil fez o processo inverso criando primeiro um modelo de avaliação sem criar um sistema educacional. Ele exemplifica dizendo que enquanto o prefeito não faz concurso, o governador não concede o salário básico por ele mesmo projetado e tudo levar a resultados indesejáveis como o Ideb brasileiro baixo. Não há incentivo para a carreira docente e essa falta de incentivo aliada à falta de interesse das novas gerações em ingressar na carreira docente preocupa o Banco Mundial. Apesar do diagnóstico sombrio o professor Jarbas Vieira lembra que conseguimos a universalização na educação básica brasileira em 1998, enquanto que países da Europa e da Ásia fizeram isso há 100 anos.

“De alguma forma, o crescimento dos cursos de pós-graduação e da pesquisa aliados às pressões sociais (a exemplo das que ocorreram recentemente),  vão fazer com que haja um maior interesse dos governos em oferecer educação de qualidade”, conclui o professor.

Para a vice-coordenadora do programa de pós-graduação em Educação da Unit, professora Dinamara Feldens, a presença do professor Jarbas Vieira denota o interesse dos docentes do Mestrado em oferecer aos alunos uma melhor formação. “Ele é uma pessoa especializada na formação docente e na questão curricular e essas são duas temáticas que nos interessam, de maneira especial”, reconhece a professora lembrando que essa é mais uma maneira de o mestrado produzir uma política de encontros e trocas de experiências com todos os envolvidos.

Professora Edinamara Feldman destaca a participação do professor Vieira

Professora Dinamara Feldens destaca a participação do professor Vieira

A professora doutora Ester Vilas-Bôas Carvalho do Nascimento, Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação acrescenta que atividades como essa, que conta com a presença do conferencista, permite estabelecer novas parcerias de pesquisa. “O professor é especialista na rede de currículos no Brasil e como nós estamos dentro do projeto de reformulação das licenciaturas, é muito importante ouvirmos o seu posicionamento de vez que nosso objetivo é sempre melhorar a qualidade dos cursos que iremos oferecer aos nossos alunos” lembra a professora Ester.

 

Foto – Marcelo Freitas

Compartilhe: