V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Unit sedia Fórum de Escolas de Enfermagem em Sergipe

A terceira edição do evento foi realizada no último dia 24 de maio, no Anfiteatro do Bloco E, Campus Aracaju Farolândia

às 14h50
Compartilhe:

Com o objetivo de dialogar e discutir elementos importantes da formação em Enfermagem, a Universidade Tiradentes sediou a 3ª edição do Fórum de Escolas de Enfermagem em Sergipe. O evento, que aconteceu no último dia 24 de maio, no Anfiteatro do Bloco E do Campus Aracaju Farolândia, reuniu coordenadores e membros do Núcleo Docente Estruturante – NDE – das instituições de ensino.

“Esses espaços são importantes para que possamos debater, no caso de Sergipe, com todos os coordenadores de graduação do Estado e seus respectivos NDEs. Precisamos compreender o atual cenário da formação, necessidades e tendências tanto do panorama local como nacional. Provocou-se importantes reflexões junto ao corpo docente e gestores acadêmicos quanto as contribuições das novas DCN”, declara a professora Maria da Pureza Ramos de Santa Rosa, coordenadora do curso de Enfermagem da Universidade Tiradentes e presidente da ABEn seção Sergipe.

O cenário atual da formação em Enfermagem no Brasil, assim como as demandas loco-regionais, as novas diretrizes curriculares, práticas de educação em Enfermagem, além das novas perspectivas para o ensino foram assuntos discutidos durante o evento. Entre os convidados estavam a professora Dra. Edlamar Kátia Adamy / UDESC, diretora do Centro de Educação da Associação Brasileira de Enfermagem – Aben – e professor Dr. Gilberto Tadeu Silva, membro da comissão de Educação da Aben Nacional / UFBA.

 “A diretoria da Aben nacional estimula para que todas as seções promovam estes fóruns. No primeiro momento, abordamos o cenário nacional trazendo elementos em relação ao número de escolas, vagas autorizadas, reconhecimento, a participação da Aben no processo de análise e a questão da formação na modalidade a distância”, comenta a Dra. Edlamar Kátia Adamy.

“Existe uma preocupação muito grande em relação a qualidade da formação. A Aben defende a formação presencial pensando que a formação na modalidade EaD não possibilitará aos estudantes uma inserção precoce no cenário da prática, um cuidado pautado na integralidade e na humanização”, acrescenta Edlamar.  

“Vejo como um desafio da formação. Nós estamos no século XXI e, em alguns locais, estamos formando no século XIX. Quando nós falamos de perspectivas, a gente não pode deixar de pensar um pouco nos indicadores epidemiológicos. Quando falo que a população está envelhecendo, é preciso que os cursos de graduação dialoguem com ou para este novo perfil populacional”, enfatiza doutor Gilberto.

O evento, promovido pela Unit em parceria com a Aben seção Sergipe, fez parte da 80ª Semana Brasileira de Enfermagem, quando instituições de ensino e saúde promovem no mês de maio eventos científicos, culturais e de congraçamento da categoria. 

Compartilhe: