V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Veja dicas de como planejar um intercâmbio acadêmico

Para planejar um intercâmbio, é preciso estar atento a algumas questões, como o tempo ficar fora do país, o custo para se manter e o estilo de vida da região

às 11h59
Resolução de questões burocráticas, planejamento financeiro e pesquisas sobre a vida no país escolhido são atos importantes para planejar bem um intercâmbio (Nataliya Vaitkevich/Pexels)
Resolução de questões burocráticas, planejamento financeiro e pesquisas sobre a vida no país escolhido são atos importantes para planejar bem um intercâmbio (Nataliya Vaitkevich/Pexels)
Compartilhe:

Fazer um intercâmbio é considerado, por muitos, uma oportunidade única de conhecer uma nova cultura, apreciar outras culinárias e construir novas amizades. Dentre as opções de experimentar a vida em outro país, existe o formato da mobilidade acadêmica, que assim como os outros, exige um importante foco no planejamento.

Essa modalidade de intercâmbio consiste na oportunidade de vivenciar componentes curriculares, a exemplo de matérias e estágios, por um período específico em uma instituição de ensino de outro país. De acordo com Júlia Gubert, assessora de relações Internacionais do Grupo Tiradentes, os benefícios da mobilidade podem ser percebidos tanto no âmbito acadêmico, quanto no âmbito pessoal.

“Os benefícios são inúmeros, sobretudo por se tratar de uma oportunidade de aperfeiçoamento acadêmico que pode gerar um diferencial de aprendizado e de conhecimentos que impulsionam os estudantes a compreender uma série de perspectivas culturais e acadêmicas distintas, levando a uma maior compreensão de desafios globais. Além disso, há também a oportunidade de aprender ou aprimorar um segundo idioma, bem como estabelecer relações com docentes e discentes de diferentes partes do mundo”, destaca.

Júlia acrescenta que, quanto à experiência pessoal, o estudante consegue desenvolver características como independência, capacidade de resolução de problemas e autoconfiança. Esses atributos podem ser um diferencial na hora de encontrar uma vaga de emprego. “Ter uma mobilidade acadêmica no seu currículo chama a atenção dos recrutadores porque mostra que está aberto a desafios e provavelmente terá habilidades relevantes para se destacar no mercado de trabalho”, reforça.

Dicas de planejamento

A assessora internacional elenca cinco dicas que não podem faltar quando se quer planejar um intercâmbio de mobilidade acadêmica:

  • Procure a documentação obrigatória com antecedência;
  • Analise o que precisa ter para aumentar a pontuação no processo seletivo das bolsas;
  • Pense no aspecto financeiro: o dinheiro que se tem disponível para investir nisso também é importante, pois em alguns países os gastos podem variar, seja por conta da moeda local ou do custo de vida;
  • Pesquise algumas universidades para conhecer aspectos acadêmicos e não-acadêmicos, como o estilo de vida da cidade, o clima na região, a cultura da instituição, a grade curricular do curso e as oportunidades que são ofertadas a estudantes internacionais;
  • Tenha atenção em todos os prazos e critérios estabelecidos no Edital de Seleção em que está se inscrevendo.

Grupo Tiradentes

O Grupo Tiradentes (GT) disponibiliza para seus alunos duas possibilidades de ter uma experiência internacional. O Clerkship for Medical Students é um programa que leva estudantes de Medicina na etapa de internato para cursarem um mês no Cambridge Health Alliance, na cidade de Boston, nos Estados Unidos. Outro programa do GT é o Programa de Mobilidade Acadêmica Internacional (ProMAI) que é realizado em parceria com Instituições de Ensino Superior (IES) estrangeiras que possibilitam aos estudantes a oportunidade de passar um ou dois semestres cursando a sua graduação no exterior.

“São disponibilizados destinos em vários lugares do mundo inclusive com a possibilidade de concorrer a bolsa. Além disso, o estudante tem o acompanhamento de uma equipe especializada que orientará nos processos de candidatura, na preparação para a viagem e dará suporte do início ao fim da mobilidade acadêmica internacional”, conclui a assessora de relações internacionais.  

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: