V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Virtualização em sala de aula

Professores desenvolvem atividades e proporcionam novas experiências aos acadêmicos.

às 14h56
Compartilhe:

O contexto da virtualização das aulas diante da pandemia se apresentou como desafio para a educação e para os professores. Sem deixar de lado os objetivos de aprendizagem e autonomia, os docentes precisaram se reinventar. E, com o intuito de proporcionar aos estudantes uma vivência diferenciada, os cursos de Ciências Contábeis e Administração da Universidade Tiradentes promoveram uma atividade voltada ao compartilhamento de experiências de profissionais e pesquisas nas referidas áreas. 

Para a professora Simone Amorim, docente do curso de Ciências Contábeis e responsável pela atividade, ministrar aulas no mundo virtual é um trabalho intelectual que demanda preparação técnica e pedagógica. “A virtualização das aulas foi mais um desafio voltado ao trabalho docente. Tratar esse momento de maneira criativa, interativa, trazendo oportunidades de aprendizagem e interação em um mundo globalizado proporciona aos estudantes experiências diferenciadas”, declara. A docente ministra a disciplina Pesquisa e Prática Profissional na área de Negócio.

“Vale ressaltar que preparar todo o corpo docente para este novo modelo também foi um desafio encarado pelo Núcleo de Desenvolvimento Docente do Grupo Tiradentes de maneira assertiva, valendo-se do esforço pessoal de cada docente para que esse processo se efetivasse de forma eficaz”, acrescenta.  

Segundo o coordenador do curso de Ciências Contábeis da Unit, professor Cláudio Marcos Praxedes, as mudanças provocadas pelo isolamento social foram marcantes tanto para os professores quanto para os alunos. “Para o corpo docente, a ideia da utilização das aulas virtuais foi um ato de superação. Falar em frente a uma câmera, a forma como lidavam com os alunos e sua própria didática são alguns dos exemplos”, comenta. 

“Já para o corpo discente, a forma de lidar com o novo processo definiu o desafio, porque, com a virtualização das aulas, a participação deveria ser mais significativa e direta”, complementa. 

De acordo com a estudante Eva Maria Cortês, as interações virtuais entre professores e alunos têm sido extremamente relevantes diante do cenário atual. “Como nos encontramos impossibilitados de interagir com encontros presenciais, essa interação se torna necessária e indispensável”, garante. 

Programação 

A primeira ação contou com a participação da professora e contadora Gilvânia Nascimento, mestre em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação da Unit. A profissional compartilhou sua experiência na pesquisa e apresentou o percurso metodológico seguido para alcançar os objetivos da pesquisa de mestrado. “A pesquisa é emocionante, é fascinante. Para ser contador hoje, não precisa só exercer a profissão técnica, você pode ser um pesquisador da área contábil”, afirma. 

Outro convidado, o professor Diego Silva do curso de Ciências Contábeis contou a sua trajetória acadêmica dentro da instituição de ensino. Com o foco nos procedimentos de pesquisa, apresentou temas como planejamento tributário, buscando situações e problemas da vida real. “É importante auxiliar os acadêmicos a adentrar nesse mundo maravilhoso que é a pesquisa acadêmica”, enfatiza.  

O coordenador do curso de Administração, José Walter Santos Filho, falou sobre a importância da investigação científica em seus aspectos práticos. “A partir dos elementos constitutivos de uma pesquisa, podemos contribuir para compreender melhor a sociedade tendo a pesquisa científica como experiência de vida”, diz. 

Além das fronteiras

Com a virtualização de aulas e o processo de internacionalização da Universidade Tiradentes sempre presente, a atividade também contou com a participação de Daiane Borges, contadora brasileira que mora e trabalha em Boston, Massachusetts. “Em um mundo competitivo, em que o tempo é fator primordial, a educação on-line elimina barreiras para que o conhecimento seja ampliado sem os contratempos de tempo, custo e espaço. É possível interagir com pessoas de diversos lugares e trocar experiências no conforto de sua casa”, destaca.  

A profissional falou sobre suas experiências de formação, semelhanças e diferenças do trabalho de um contador nos dois países. “Existem especificidades que precisam ser atendidas diante do contexto cultural de cada país”, observa.  

Daiane também abordou questões de gênero, imigração, preconceito, ética na profissão contábil, além dos impactos da COVID-19 para os trabalhadores em Boston e no trabalho do contador. Alguns dos assuntos discutidos são temas de projetos que os estudantes estão desenvolvendo na disciplina. 

A aluna do curso de Ciências Contábeis Grazielle de Jesus Silva afirmou que a interação entre participantes é sempre muito vantajosa em qualquer situação de aprendizagem. “O mundo digital nos possibilitou a comunicação virtual por meio de várias plataformas. Essas iniciativas são momentos de estímulo, resultando em troca de conhecimentos e aprendizagem”, considera. 

Compartilhe: