V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Começa a Sempesq 2015

A programação contempla todos os campi da Universidade Tiradentes e foi aberta oficialmente na noite desta segunda-feira, 26, no Campus Farolândia

às 00h06
Professor Uchôa fala sobre a importância do evento para a academia e para a comunidade universitária
Professor Uchôa fala sobre a importância do evento para a academia e para a comunidade universitária
Títulos importantes são lançados durante a Sempesq
Doutora Eunice Dantas mobiliza a comunidade acadêmica
Oportunidades e limitações para a inovação científica no Brasil, tema do doutor Luiz Antõnio
Doutor Cristiano Ferronato, coordenador geral da Sempesq 2015
Joana Silva Santos, sensibiliza os acadêmicos para a campanha da coleta de alimentos
Mesmo no início do curso, Alexandro Nataniel Guerra já revela seu interesse pela pesquisa
Compartilhe:

Durante cinco dias consecutivos a comunidade científica de Sergipe participa da vasta programação da Semana de Pesquisa da Unit – Sempesq. O evento que na atual versão traz como tema principal “Luz, Ciência, Tecnologia e Educação” tem por objetivo principal divulgar os resultados das inúmeras pesquisas desenvolvidas dentro da academia, bem como promover discussões acerca de uma temática específica voltada para contribuir com o desenvolvimento regional.

A programação de abertura da Semana de Pesquisa da Unit ocorreu na noite dessa segunda-feira, 26, no auditório B do bloco G, Campus Farolândia com o lançamento das campanhas Dia Nacional da Coleta de Alimentos e Combate a Corrupção, esta última idealizada pelo Ministério Público Federal e apresentada na Universidade Tirdentes pela procuradora da República, Eunice Dantas. Também houve  a conferência do professor Luiz Antonio Barreto de Castro, da Sociedade Brasileira de Biotecnologia – SBBIOTEC – sobre oportunidades e limitações para a inovação científica no Brasil.

Sobre o lançamento da campanha que tem o dia 7 de novembro como o Dia Nacional da coleta de alimentos, a Engenheira de Alimentos Joana Silva Santos lembra que a Unit já integra desde o ano passado a programação e que todos que desejarem contribuir com a doação de produtos não perecíveis devem coloca-los numa caixa de coleta que já está disponibilizada no minishopping do Campus Aracaju Farolândia.

“O ponto alto da programação culmina no dia 7 de novembro, com a presença de voluntários em redes de supermercado da capital. Tudo que for arrecadado será posteriormente distribuído com instituições beneficentes”, diz a voluntária.

Sobre o lançamento da Campanha contra corrupção a procuradora da República Eunice Dantas explica que se trata de um projeto de lei que conta com a iniciativa popular. “O que nós visamos, principalmente, é o aumento da efetividade no combate a corrupção. Precisamos de um milhão e meio de assinaturas e de um engajamento cada vez maior da população para que, uma vez apresentado esse Projeto de Lei, possamos cobrar dos parlamentares acatem a ideia”, ressalta.

Conferência

O conferencista de abertura da Sempesq, Luiz Antonio Barreto de Castro enfatizou que a aplicação de recursos para as diversas linhas de pesquisas tem sido feita prioritariamente pelo setor privado, uma vez que diante da crise pela qual passa o país, é cada vez mais difícil o setor público investir nessa área. Ele citou a Universidade Tiradentes como bom exemplo. “O que mais me impressionou é que agora a Unit está criado um instituto na Universidade de Massachusetts Boston. Isso é absolutamente singular, pois permitirá promover vários avanços na área de desenvolvimento tecnológico, já que Boston é o que existe de mais avançado em termos de desenvolvimento tecnológico no mundo”, avalia o palestrante.

Lançamento

A noite também foi de lançamentos, com destaque especial para os dez anos dos Cadernos de Graduação. A editora científica do Grupo Tiradentes e diretora da Editora Universitária Tiradentes – Edunit -, professora Cristiane Porto, salienta que o lançamento das versões mais atualizadas durante a abertura da Sempesq representa o coroamento do que a instituição prega que é pesquisar e editar. “Os cadernos representam um importante espaço que o aluno tem para publicar sua pesquisa e dar os seus primeiros passos como autor no mundo cientifico”, opina a docente. As publicações são distribuídas gratuitamente e contemplam as áreas das Ciências Biológicas e da Saúde; Ciências Exatas e Tecnológicas, e Ciências Humanas e Sociais. Além dos cadernos, outros títulos foram lançados durante a abertura da Sempesq.

Ainda no 1º período do curso de Administração, mas, já interessado no desenvolvimento de pesquisas, o acadêmico Alexandro Nataniel Guerra Magalhães revela que se sente estimulado em participar ativamente de toda a programação da Sempesq 2015. “Meu desejo é entender melhor o que se passa no cotidiano da universidade para estar preparado para a pesquisa”, justifica Alexandro.

“Esse evento nos proporciona a oportunidade de mostrar aos nossos alunos com o que eles devem se preocupar para crescerem profissionalmente após a conclusão do curso. Universidade não existe sem pesquisa. E o nosso compromisso é grande com a educação, a pesquisa e a pós-graduação”, enfatiza o professor Jouberto Uchôa de Mendonça, reitor da Unit.

Para o Superintendente de Relações Institucionais do Grupo Tiradentes, professor Ihanmarck Damasceno, qualquer que seja a administração acadêmica que trabalhe com educação superior tem que primar por atender ao tripé ensino, pesquisa e extensão. “Somos uma universidade que busca dentro da fronteira do conhecimento desenvolver e produzir ciência. E isso não vai acontecer sem que existam investimentos em pesquisa, em programas de stricto sensu. A Sempesq é o momento que a universidade aproveita para apresentar a toda a comunidade científica brasileira tudo aquilo que é desenvolvido por cada um dos nossos alunos, professores e pesquisadores. Representa algo de muita importância por denotar a maturidade institucional que a universidade alcança”, conclui.

O coordenador geral da Sempesq, professor Cristiano Ferronato lembra que o tema central do evento está atrelado ao tema da Semana Nacional da Tecnologia, proposto pela Unesco. “Vamos discutir essa temática em todas as atividades da Sempesq”, afirma. Ele acrescenta que para a versão 2015 foram elaboradas atividades integradas de forma a ativar a interdisciplinaridade entre os programas de pós-graduação.

“Outra atividade importante são os dois dias dedicados para a apresentação dos trabalhos de iniciação científica por se tratar de um programa em que o aluno que nele está inserido tem uma longa vida acadêmica dentro da instituição”, explica Ferronato.

Além das palestras e apresentações dos trabalhos, os participantes da Sempesq encontram na programação uma feira de ciência que ocorre no minishopping da Farolândia, mesas-redondas, seminários e mostra de cinema do Grupo de Estudos e Pesquisa Comunicação, Educação e Sociedade – GECES.

A programação completa está disponibilizada aqui.

Fotos – Marcelo Freitas

Compartilhe: