V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Professores da Unit lançam livro sobre Direito e Cinema

Obra publicada pela Editora da Universidade Federal da Bahia - Edufba - é lançada no Museu da Gente Sergipana

às 14h11
Ilzver Oliveira e Verônica Marques
Ilzver Oliveira e Verônica Marques
Secretário Antônio Bittencourt prestigia lançamento
Ilzver Oliveira e Verônica Marques
Compartilhe:

Os professores do Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Tiradentes, Verônica Teixeira Marques e Ilzver de Matos Oliveira, estão entre os organizadores do livro Direito e Cinema: filmes para discutir conceitos, teorias e métodos, obra publicada pela Editora da Universidade Federal da Bahia – Edufba – e lançada em Aracaju na noite desse domingo, 30 de novembro, no Museu da Gente Sergipana. O lançamento fez parte da programação da 9ª Mostra de Cinema e Direitos Humanos no Hemisfério Sul, evento que ocorre até 20 de dezembro.

Os textos da coletânea são o resultado de discussões e reflexões que seus autores desenvolveram nas trajetórias acadêmica e profissional. No espaço da universidade, dentro de fora da sala de aula, nos grupos de pesquisa e no contato com a sociedade multifacetada e abrangente quanto aos seus muitos temas, o livro aborda relações instigantes entre filmes e conteúdos das disciplinas jurídicas. Vai além de códigos e conceitos, possibilita a sintonia do leitor com a visão sensível, poética e metafórica dos fenômenos jurídicos, do mundo e do que somos.

“Nosso livro fala sobre como trabalhar com o direito na sala de aula, de forma ampla, mais lúdica, mais aberta. A seleção dos artigos partiu de convites para autores locais, nacionais e estrangeiros. A obra conta com alguns artigos escritos em outras línguas, como o francês, o que também abre espaço para outras leituras fora do Brasil”, afirma o professor Ilzver Oliveira.

“A ideia do livro surgiu da experiência de alguns professores que já utilizavam o recurso do filme em sala de aula, como uma metodologia de ensino, uma proposta de incentivar os alunos a verificarem outras coisas em relação a realidade, numa correlação com os conceitos, com as discussões teóricas”, explica a professora Verônica Marques.

É desta forma que Direito e Cinema: filmes para discutir conceitos, teorias e métodos mostra, por exemplo, como o filme “Zuzu Angel” aborda os conceitos de direito à verdade, à memória e ao luto; “Xingu” incita a discussão sobre direitos fundamentais dos povos indígenas; “O Leitor” trata das relações entre subjetivação e condição humana; e “Anjos do sol” é um excelente instrumento para se discutir barbárie humana e violação massiva dos direitos humanos.

Para o secretário de Estado dos Direitos Humanos e da Cidadania, Antônio Bittencourt Júnior, é fundamental que a discussão sobre problemas da vida cotidiana de uma sociedade cada vez mais complexa, relacionados aos direitos humanos, sejam debatidos em sala de aula. “E tratar dessas temáticas vinculando a uma via tão extraordinária de comunicação como o cinema, torna isso ainda mais precioso. É fazer com que as pessoas passem a enxergar os filmes não apenas como entretenimento, mas como instrumentos de reflexão, de formação, didáticos sobre a vida”, analisa Bittencourt.

Compartilhe: