V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Instituição paraense aprova doutorando da Unit

A colocação em 1º lugar é um reconhecimento à competência do doutorando pela formação adquirida na Universidade Tiradentes

às 20h09
O aluno do doutorado do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Tiradentes, Albano Góes, acaba de ser aprovado em 1º lugar no concurso da Universidade Federal Rural da Amazônia – UFRA.
O doutorando Albano Góes
O doutorando Albano Góes
Compartilhe:

Natural do estado de São Paulo, Albano é graduado em Pedagogia e atuou por dois anos no ensino fundamental I na Prefeitura Municipal de São Paulo. Em 2007 sua vida tomou novo rumo e aos 22 anos decidiu mudar para o Nordeste, fixando residência por quatro anos na cidade baiana de Feira de Santana. Nesse período, iniciou sua trajetória enquanto pesquisador na área de Educação e Tecnologias na Universidade Estadual de Feira de Santana – UEFS.

Em 2011, após a aprovação no mestrado em Educação da UNIT, passou a residir em Aracaju onde permaneceu por dois anos. “Esse período foi muito positivo para minha trajetória, pois conheci pessoas e tive experiências que contribuíram para minha formação, enquanto docente. Claro, sem demagogia, o fato de ter sido aprovado com direito a bolsa de isenção na mensalidade, e ainda, uma bolsa de fomento (FAPITEC) foi fundamental no desenvolvimento pleno das minhas atividades durante esse período”, lembra o doutorando.

Após a conclusão do mestrado, em 2013, Albano retornou para o estado da Bahia, dessa vez para lecionar como professor temporário no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano (IFBAIANO), na cidade de Senhor do Bonfim. “ Foi nessa instituição que eu conheci a Licenciatura em Computação, a mesma graduação onde eu irei lecionar na Universidade Federal Rural da Amazônia no Pará”, destaca Albano.

Em 2015, com a aprovação no doutorado da Unit ele retorna a Aracaju para ampliação de estudos que haviam sido iniciados no mestrado da instituição. E o fato de novamente ter sido contemplado com uma bolsa de isenção e de fomento (CAPES) o ajudou no sentido de focalizar suas atenções, tanto para a pesquisa quanto para os conhecimentos necessários para aprovação no concurso.

Acompanhe o diálogo estabelecido entre a Asscom da Unit e o doutorando:

Asscom –  Fale um pouco mais sobre a Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA)

Albano Góes – A UFRA é uma instituição de ensino superior federal localizada no estado do Pará, região Norte do Brasil, cuja data de criação, enquanto Faculdade, é do inicio dos anos 1970.  Inicialmente o foco eram os cursos da área de Ciências Agrárias, contudo, com o processo de transformação em Universidade em 2002, novas graduações foram incorporadas à instituição, principalmente na área de tecnologias.

A – O que motivou você a optar pela UFRA? Foi a oportunidade do concurso?

AG – A opção pela UFRA está relacionada ao curso que eu irei lecionar, a Licenciatura em Computação; uma estrutura de formação de professores contemporânea, que se encontra em expansão no Brasil, visto a necessidade urgente de inserção de tecnologias na educação básica. Apesar disso, infelizmente, temos poucos concursos para essa área e de certa forma aproveitei a oportunidade para ampliar meu horizonte de atuação e poder discutir em conjunto com meus futuros alunos os conhecimentos adquiridos no PPED-Unit e nas minhas experiências anteriores.

A – Sua formação enquanto doutorando da Unit tem relevância nessa aprovação?

AG – Com certeza. O Programa de Pós-Graduação em Educação (PPED), no qual sou orientado pelo Professor Doutor Ronaldo Nunes Linhares, foi fundamental nessa conquista. Tenho convicção que a partir dos componentes curriculares e dos docentes que conheci na Unit, tanto no mestrado quanto no doutorado, foi possível a ampliação e a aquisição de conhecimentos pedagógicos utilizados na seleção para professor da UFRA.

A – O que representa esse novo momento em sua trajetória na Educação?

AG – A intenção é contribuir para o fortalecimento do curso de Licenciatura em Computação da UFRA e colocar em prática os posicionamentos e concepções que possuo sobre o processo de inserção das tecnologias na formação de professores. Acredito que, pelo fato de ser um futuro docente responsável por disciplinas pedagógicas, terei a responsabilidade de mediar o “diálogo” entre os saberes da docência e saberes técnicos da formação do futuro licenciando.

A – Como pode avaliar essa oportunidade e quais são os seus próximos propósitos?

AG – Como havia dito anteriormente, acredito que essa oportunidade me ajudou no processo de amadurecimento enquanto professor, profissão essa que, infelizmente ao olhos de nossa sociedade, ainda é subvalorizada. Acredito que um propósito inicial é concluir o doutorado e, em paralelo, elaborar um espaço colaborativo na UFRA que me auxilie em futuras pesquisas sobre formação de professores e tecnologias na região Norte. Pretendo, ainda, realizar estudos posteriores fora do País, procurando observar experiências exitosas no meu campo de atuação. Tenho a intenção, ainda, de integrar como docente futuros ou atuais programas de pós-graduação da UFRA, principalmente que discutam sobre formação de professores e tecnologias.

A – Qual tema de pesquisa motivou a realização do seu doutorado em Educação na Unit?

AG – No doutorado, eu pesquiso sobre Aprendizagem Baseada em Problemas, Tecnologias e Formação de Professores, e a motivação de pesquisar sobre essa tríade é oriunda das experiências que tive como colaborador na formação de professores e pelos resultados encontrados no mestrado.

Compartilhe: