V E S T I B U L A R UNIT
MENU

60 anos do Grupo Tiradentes e a contribuição da instituição para o EAD

Para se tornar o que é hoje, o EAD passou por diversas transformações tornando possível o sonho de ingressar no ensino superior

às 16h21
Compartilhe:

O investimento pioneiro da Universidade Tiradentes (Unit) em trazer a modalidade de Educação a Distância (EAD) para Sergipe deu tão certo, que hoje os polos da Unit EAD já abrangem seis estados do Nordeste. Desde 2002, a instituição sergipana formou 17.692 profissionais por meio desta modalidade de ensino.

Por volta dos anos 2000, a Unit foi uma das primeiras instituições nacionais a ter dois projetos autorizados para serem oferecidos na modalidade a distância: um de pós-graduação e outro de graduação, ambos em Sergipe.

“Se dermos uma olhada na perspectiva do que a Unit contribuiu para o estado está na democratização do acesso ao curso superior, principalmente no campo de formação de professores. Essa contribuição é muito grande em termos de totalidade aqui em Sergipe. O EAD levou a Universidade onde efetivamente era uma necessidade, e praticamente, impossível para aqueles municípios, os quais conseguimos fechar parcerias logo no início”, pontua o doutor Ronaldo Linhares, hoje professor do Programa de Pós-Graduação em educação da Unit, mas que nos anos 2000 esteve à frente do então Núcleo de Ensino a Distância da instituição sergipana.

Aliás, doutor Ronaldo foi um dos idealizadores do EAD em Sergipe. Segundo ele, a Unit desenvolveu sua primeira experiência com professores municipais, por meio de convênio com a Prefeitura de Canindé de São Francisco (SE), quando implantou-se o primeiro polo EAD. A prefeitura de São Cristóvão (SE) veio em seguida. A procura era alta. “Nesta segunda cidade, oferecemos duas a três turmas com média de 100 alunos para realizar alguns cursos”, lembra.

“Foi um trabalho coletivo. Enfrentamos algumas dificuldades até concretizar esse projeto pedagógico. Uma delas era referente à qualidade do ensino, pois a sociedade ainda indagava que poderia não ter a mesma qualidade do presencial. Então começamos a pensar em diversas maneiras de colocá-lo para frente sem interferir na qualidade do ensino e maneiras com que as pessoas pudessem ter acesso”, explica Ronaldo.

Além dele, quem também esteve à frente da idealização desse projeto foi o diretor de operações acadêmicas do grupo Tiradentes, Marcos Wandir, que hoje é diretor de operações acadêmicas do Grupo Tiradentes. Segundo Ronaldo, na época, Mário era da área de informática. “E esse fator contribuiu com desenvolvimento e o aprimoramento do EAD, uma vez que ele trabalhou na implantação do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) no ensino; no credenciamento dos cursos e na inserção de outras ferramentas digitais”, relembra.

Evolução EAD

Para atingir o nível que o ensino a distância tem hoje na Unit, foi preciso muito investimento. “As ideias inovadoras das questões metodológicas para o EAD precisavam encontrar também ferramentas tecnológicas que dessem esse suporte, e não o contrário. É preciso ter bons modelos e boas ideias. Hoje eu vejo que o crescimento existiu após passar por diversas fases, já que a primeira concepção foi extremamente acadêmica para lograr êxito e a partir daí foi se tornando mais operacional e comercial”, ressaltou o professor Ronaldo Linhares.

A professora Andrea Karla Nunes contribuiu como assessora administrativa de um processo que já estava sendo realizado pela Unit, que era a oferta de disciplinas de forma online. 

“Com o amadurecimento do trabalho realizado pelo NEAD e numa perspectiva de tentar já pensar com o olhar mais futurista dessa oferta, o Núcleo ofereceu seminários, congressos, debates com os professores na instituição, leituras mais apuradas sobre a educação a distância e em 2005 nós tivemos uma experiência com o município de Laranjeiras que recebiam pessoas de cidades vizinhas para realizar o curso de Letras-Português”, pontuou.

Andrea Karla também relembra o fato de que à época, o modelo não foi muito bem aceito, e compara com os dias atuais, já que o EAD domina o ensino superior pela flexibilidade, qualidade e autonomia. “Acredito que foi um dos melhores momentos do Grupo Tiradentes porque eu vi nascer uma ideia, vi ela ser executada, acompanhada e quando se olha hoje para a Educação a Distância, é possível entender o percurso de toda a formação. Muitos dos profissionais que atuam como professores nos municípios foram egressos da Unit EAD”, contou a professora.

Após 20 anos, a Unit chega hoje em seis estados do Nordeste ofertando ensino superior de qualidade, com professores mestres e doutores, com 19 polos próprios e sete polos parceiros nos estados de Sergipe, Bahia, Pernambuco, Alagoas, Rio Grande do Norte e Piauí.

EAD realizando sonhos

A assistente administrativa da Unit EAD, Jussara Barbosa, foi uma das alunas que fez parte destas primeiras turmas do curso de Letras-Português na modalidade EAD da Unit. Para ela, o EAD surgiu para realizar o sonho de ter uma graduação sem precisar abrir mão do seu trabalho. “A escolha pelo modelo de ensino se deu pelas dificuldades da minha rotina. Como eu trabalhava pela tarde e pela noite, o final de semana era o único momento que eu podia me deslocar para Laranjeiras e realizar minha graduação”, enfatiza.

Além de Jussara, a assessora acadêmica da Unit, Tânia Santos, também encontrou no EAD uma oportunidade de poder concluir o ensino superior de forma que não precisasse abrir mão de outras responsabilidades, como o trabalho e cuidar do filho. “Minha experiência foi maravilhosa, pois eu não tinha a possibilidade de estudar presencial todos os dias, porque além de ser dona de casa também trabalhava à tarde e à noite. E mesmo que eu precisasse me deslocar para Laranjeiras todo final de semana era algo que facilitava muito a minha vida. Só tenho a agradecer por ter me formado graças a Unit”, finaliza.

Leia também: Número de professores formados pelo EAD cresce no Brasil

Compartilhe: