V E S T I B U L A R UNIT
MENU

A realidade da enfermagem no Brasil, traduzida em dados

Pesquisa desenhou perfis profissionais dos enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem que atuam em todo o país

às 18h54
Mais de  mais de 1,8 milhão de profissionais de Enfermagem trabalham atualmente no Brasil, formando a maior categoria do campo da saúde (Divulgação/Prefeitura de Suzano-SP)
Mais de mais de 1,8 milhão de profissionais de Enfermagem trabalham atualmente no Brasil, formando a maior categoria do campo da saúde (Divulgação/Prefeitura de Suzano-SP)
Compartilhe:

Enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem do Brasil somam mais de 1,8 milhão de profissionais, dos quais 50% atuam no Sistema Único de Saúde (SUS). Trata-se da maior categoria do campo da saúde no país, com profissionais presentes em todos os municípios atuando também nos setores privado, filantrópico e de ensino. 

Os dados foram revelados pelo mais amplo levantamento sobre uma categoria profissional já realizado na América Latina, capitaneado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) por iniciativa do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), com apoio da Organização Pan-Americana de Saúde e do Ministério da Saúde, além da Rede ObservaRH. 

Esta pesquisa apresenta o diagnóstico detalhado da situação e da importância destes profissionais, que foram entrevistados em cerca de 50% dos municípios brasileiros e em todas as unidades da federação. Seu objetivo foi gerar dados amplos e confiáveis que permitissem avaliar a situação da profissão e propor mudanças. 

O resultado apresenta informações separadas também por Estado, para identificar as diferentes realidades locais. E todo esse banco de dados está disponível. Nele, é possível analisar a situação atual da enfermagem no país nos seus diversos aspectos, buscando conhecer a sua dinâmica no recente contexto socioeconômico e político brasileiro.

Perfis profissionais

O tamanho da amostra foi calculado para se obter uma precisão de 4,5% e um nível de significância de 95%. Utilizou-se uma proporção de 50% para maximizar a variância e consequentemente, o tamanho da amostra. Após amplo processo de divulgação da pesquisa na imprensa, nos locais de trabalho e nas universidades, procedeu-se ao envio dos questionários aos enfermeiros e auxiliares e técnicos de enfermagem, totalizando 35.916 respondentes.

A pesquisa aponta onde e como trabalham os enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem, e, ainda, qual a média salarial, a escolaridade, as expectativas, além de outras informações. Ouviu profissionais em mais da metade dos municípios do país, e em todos os estados da Federação, tendo como meta descrever o perfil da equipe de enfermagem de todo o Brasil.

Buscou também desenhar os perfis profissionais dos enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem, considerando as características socioeconômicas, de formação e desenvolvimento profissional, de inserção no mercado de trabalho e de sua participação sócio-política, bem como analisar a dinâmica atual do mercado de trabalho de enfermagem e, por fim, apontar e analisar tendências e perspectivas da enfermagem hoje no Brasil.

Subsídio

Com os dados da pesquisa, projetos de lei e propostas de políticas públicas para a categoria já podem ser elaborados, como é o caso da Lei do Descanso (PLS 597/2015). Este importante banco de dados gerado pela investigação está disponível ao público, à comunidade científica, aos trabalhadores da enfermagem e da saúde, gestores, estudantes e demais interessados.

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: