V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Ataques cibernéticos demonstram fragilidade na proteção de dados no Brasil

O número de ações criminosas na internet aumentaram em 97% durante o período mais crítico da pandemia de covid19.

às 12h03
Imagem: Freepik
Imagem: Freepik
Imagem: Freepik
Compartilhe:

A Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos registrou cerca de 160 mil casos de crimes cibernéticos só em 2020 no Brasil. Em relação a esse ano, houve um aumento de 97% nos casos de ataques, durante a pandemia de covid19. Cerca de 220 milhões de brasileiros já tiveram seus dados vazados.

O ataque hacker mais recente aconteceu no final de 2021. Foi a invasão ao sistema do Ministério da Saúde, que derrubou o aplicativo Capacite SUS. Essa ação criminosa levantou o debate no Senado Federal sobre a segurança na internet.

Além do Ministério da Saúde, outros órgãos públicos também já foram atingidos por ataques de hackers, como a Polícia Rodoviária Federal, a Controladoria-Geral da União e a Escola Nacional de Administração Pública. Segundo os debatedores, os dados demonstram que o Brasil é alvo principal de cibercriminosos.

Para o procurador da República, Carlos Bruno Ferreira da Silva, a Lei Geral de Proteção de Dados, que está em constante aprimoramento, deve também prever que as empresas sejam rigorosamente punidas caso não protejam suficientemente bem os dados dos cidadãos. Além disso, é preciso que haja a tipificação do crime de sequestro de dados pessoais.

Além dos mecanismos dos órgãos públicos para proteger o brasileiro, as empresas privadas também devem se envolver com esse intuito, formando assim uma rede de ações articuladas para a proteção civil.

*Com informações da Agência Senado, R7 e TechTudo.

 

Conheça nosso curso de Segurança da Informação

Leia também: Falsa vaga de emprego faz três vítimas a cada quatro pessoas

Compartilhe: