V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Desembargador sergipano lança livro na Unit


às 13h54
O autor ladeado pela professora Amélia e o professor Jouberto Uchôa
O autor ladeado pela professora Amélia e o professor Jouberto Uchôa
O secretário adjunto exibe o livro do doutor Vladimir
A obra desperta a curiosidade do leitor
Compartilhe:

Se estivesse vivo Machado de Assis, considerado como o maior escritor brasileiro, autor de obras que perpassam por praticamente todos os gêneros literários, certamente não imaginaria que um dos seus mais conhecidos romances, Dom Casmurro, teria os seus principais personagens submetidos a uma investigação comportamental e por que não dizer, até policial.

Pois é isso que acontece na obra literária Dom Casmurro a História que Machado de Assis escondeu,    escrita pelo desembargador, historiador, e ocupante da cadeira de número 25 da Academia Sergipana de Letras Vladimir Souza Carvalho. Publicado pela Editora Juruá, seu livro foi lançado na noite desta sexta-feira, 21, no foyer do prédio da Reitoria da Unit, no Campus Farolândia, oportunidade em que em estiveram prestigiando a noite de autógrafos, inúmeros convidados e acadêmicos do curso de Direito.

Na condição de magistrado e utilizando-se da habilidade literária, o doutor Vladimir foi motivado pela curiosidade de saber se a personagem Capitu era, ou não, inocente. A partir dessa premissa e tendo contato com a bibliografia acerca de Dom Casmurro o escritor sergipano percebeu que havia uma história na qual o personagem narrador não queria ver narrada. “Passei então a perceber os vestígios, as pegadas em direção a essa história e fui construindo o texto que resultou no livro”, diz o magistrado lembrando que essa é a terceira versão de uma obra (a primeira foi vetada, e a segunda ele reconhece ter caído em pista falsa) que revela uma vertente nova, ainda não explorada por nenhum outro escritor ou pesquisador quando o assunto é a obra de Machado de Assis.

Ao falar sobre o escritor Vladimir Carvalho, o professor Uchôa ressalta que se trata de um dos magistrados de maior expressão no cenário jurídico brasileiro, motivo de orgulho de todos os sergipanos.

O secretário adjunto da Secretaria de Estado da Cultura, Wellington Mangueira, reconhece no desembargador sergipano um grande pesquisador ao salientar que já tendo realizado outras importantes obras ele brinda o leitor com um trabalho ímpar e que motiva novas pesquisas a cerca dos personagens de Dom Casmurro, romance realista escrito por Machado de Assis em 1889.

Fotos – Marcelo Freitas

Compartilhe: