V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Documentário marcará 10 anos da morte de Amy Whinehouse

Produção promete envolver o público com uma versão pouco conhecida da cantora britânica, uma das mais marcantes da música mundial

às 13h52
A cantora Amy Winehouse tinha 27 anos e morreu em julho de 2011, em Londres (Unsplash)
A cantora Amy Winehouse tinha 27 anos e morreu em julho de 2011, em Londres (Unsplash)
Compartilhe:

Por meio de um arquivo nunca antes divulgado, o novo documentário sobre a cantora Amy Winehouse promete oferecer ao público um relato poderoso da vida e obra construída ao longo da carreira desse ícone da música mundial, que morreu aos 27 anos em julho de 2011, em Londres.

A produção, assinada pela rede britânica BBC, deve ser lançada em julho deste ano e contará com a participação de Janis, mãe da cantora, que irá narrar lembranças e assim, transmitir uma versão pouco conhecida por parte do grande público a respeito de Amy. O objetivo é promover um resgate das raízes da cantora, sua criação, trazendo à tona a verdadeira Amy Winehouse.

Para o desenvolvimento da narrativa, a mãe da cantora contou com o auxílio de parentes e pessoas próximas à família, as quais conheceram Amy de forma íntima. A expectativa pelo lançamento do documentário já é grande entre os fãs da artista, que conquistou o Grammy, um dos maiores prêmios da música mundial e que, após encarar problemas com o alcoolismo e drogas ao longo da carreira, morreu há dez anos por complicações de uma intoxicação alcoólica.

Gênero documentário

O formato ou gênero documentário surgiu junto com o cinema, sendo que os primeiros registros feitos têm o objetivo de registrar literalmente a realidade. “As primeiras produções audiovisuais que se tem conhecimento, buscaram registrar cenas do cotidiano, como por exemplo, documentar a chegada de um trem a uma estação. Foram tentativas de documentar um cotidiano, com a câmera sendo colocada na rua, para então, em um segundo momento, o cinema começar a desenvolver uma linguagem”, destaca Walcler Mendes Júnior, professor do Programa de Pós-Graduação em Sociedade, Tecnologias e Políticas Públicas da Universidade Tiradentes, Campus Alagoas.

Dois subgêneros de documentários se destacam: o espontâneo e o histórico. “O espontâneo é aquele tipo de documentário de evento, ou seja, quando você vai gravar algo único que está ocorrendo, como por exemplo, a procissão do fogaréu, que está acontecendo, mas não especificamente para a sua câmera, e caso você perca alguma cena, a mesma não irá se repetir a depender da sua vontade ou comando. Neste caso é imprescindível ter mais de uma câmera para que não corra o risco de perder alguma cena. Já o histórico, é o caso deste da Amy Winehouse, que é biográfico, onde você irá narrar alguma coisa que não se trata de um evento. Ele prevê um roteiro mais amarrado, encenando até algumas situações que são relatadas, contratando atores como vemos na produção ‘Rock Brasília’ de Vladimir Carvalho, em que foram contratados atores para interpretar o cantor Renato Russo, e outros personagens da cena do rock naquela época”, pontua. 

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: