V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Egressa da Unit apresenta projeto de mestrado em Londres

Laís Ayres concluiu o mestrado na London Metropolitan University exibiu o projeto de forma presencial na "Summer Show 2021"

às 12h35
Egressa Laís Ayres na
Egressa Laís Ayres na "Summer Show 2021"
Projeto "Kenwood Home”
Projeto "Kenwood Home”
Projeto "Kenwood Home”
Projeto "Kenwood Home”
Projeto "Kenwood Home”
Projeto "Kenwood Home”
Projeto "Kenwood Home”
Projeto "Kenwood Home”
Projeto "Kenwood Home”
Projeto "Kenwood Home”
Compartilhe:

A egressa da Universidade Tiradentes em Arquitetura e Urbanismo, Laís Ayres concluiu o seu projeto de mestrado com uma trajetória de sucesso. Após concluir a graduação, em 2016, a jovem que sempre sonhou em fazer um intercâmbio e aperfeiçoar a língua inglesa, não pensou duas vezes e seguiu para Dublin, na Irlanda, no início do ano seguinte. Após o período de três anos na Irlanda, ela ingressou na London Metropolitan University em Londres, onde cursou o seu mestrado em Design de Interiores. 

Após participar da edição de 2020 da “The Summer Show 2020”, exposição vitrine para os trabalhos desenvolvidos pela Escola de Arte, Arquitetura e Design da Universidade, ela retornou de forma presencial neste ano e expôs o seu projeto de conclusão do curso como mestranda. Na “The Summer Show 2021”, que ocorreu entre 13 a 18 de setembro, Laís apresentou o “Kenwood Home”, um projeto que atende as necessidades de várias gerações, integrando os requisitos de moradia e saúde dos idosos com a energia natural e as brincadeiras das crianças.

Laís explicou que durante o seu mestrado e a pesquisa para o desenvolvimento do seu projeto final, os alunos precisaram escolher uma área de investigação voltada para solucionar problemas da população através do Design e da Arquitetura. “Temos muita responsabilidade como profissionais da área em mudar a vida de diversas pessoas. Tudo que construímos fica no mundo por milhares de anos”, reiterou a jovem. 

No ano passado, na “Summer Show”, Laís explorou os sentidos das crianças e criou elementos que compõem uma atmosfera lúdica rodeada pela natureza. Percebendo o seu grande potencial com o tema, ela continuou investigando o lado lúdico das crianças, porém, atrelando ao modo como vivem os idosos na cultura ociedental. “Na nossa sociedade, muitos idosos acabam ficando à margem da sociedade e são realocados em casas de repousos ou asilos. Mesmo com todo o suporte médico, muitos se sentem abandonados, isolados e excluídos pela família e não possuem contato com pessoas de outras gerações. Algumas pesquisas mostram que o Brasil terá a população mais velha do mundo em 2030 e no Reino Unido, a quantidade de idosos deve aumentar em 33% daqui a 60 anos”. 

Usando como referência um documentário da BBC One em parceria com o Channel 4, ‘Old People’s Home for Four Year Olds’, a estudante começou a pensar na interação entre idosos e crianças e de como isso poderia ajudá-los a terem uma melhor qualidade de vida. “Kenwood Home” é uma proposta de desconstrução total do modelo convencional de casas de repousos, trazendo para vida contemporânea todas as necessidades de crianças e idosos, integrando requisitos básicos de moradia e saúde com a energia lúdica das brincadeiras infantis. 

“Visitei alguns dos Programas de Integração entre Gerações que existem aqui em Londres e desenvolvi um projeto baseado em corrigir algumas falhas existentes nessas casas de repouso. Por exemplo, na maioria delas, a interação só era feita quando a equipe ou os funcionários desenvolviam atividades juntos, já que a casa de repouso e as creches desses programas ficam em locais separados uns dos outros”. 

A proposta de Laís é que, através do Design e da Arquitetura, a interação entre os dois grupos seja estimulada. A jovem projetou com materiais sustentáveis, bangalôs totalmente voltados para o bem-estar e para autonomia do idoso, onde cada um tem sua própria cozinha, banheiro e espaços que estimulam a memória das pessoas mais velhas. “Foi tudo pensado para ser acessível e feito com muita pesquisa, através de entrevistas com geriatras, que determinaram as principais necessidades desse grupo. Nos bangalôs, tudo é feito com uma cerâmica específica da Inglaterra na época da Rainha Vitória, pois várias casas da época possuem essa característica, dando uma experiência de percepção visual que estimula a memória onde os idosos se sentem acolhidos e que sintam que também possuem autonomia”. 

A egressa Laís foi aprovada e a sua cerimônia de graduação está programada para ser na primeira semana de dezembro. Conheça mais da sua história: Novos horizontes: após a graduação, egressa do curso de Arquitetura da Unit participa de exposição em Londres

Compartilhe: