V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Egressa em Design Gráfico contou com apoio do NAPPS na graduação


às 13h02
Paloma Assis Almeida
Paloma Assis Almeida
Compartilhe:

No Núcleo de Apoio Pedagógico e Psicossocial (NAPPS) da Universidade Tiradentes, os alunos e colaboradores com Deficiências, Síndromes ou Transtornos, são atendidos e apoiados durante o processo de aprendizagem e nas relações sociais e coletivas. Dentre os mais diversos assistidos pelo Napps, a jovem Paloma Assis Almeida relatou a importância do Núcleo para sua formação na graduação de Design Gráfico.

De acordo com a coordenadora do Napps, Kátia Maria Araújo, o Núcleo oferece acompanhamento de intérprete de Libras nas avaliações presenciais e durante as aulas em atividades intra e extra muros. “O Napps dispõe de quatro Intérpretes/Tradutores de Libras para acompanhar o aluno surdo em sala de aula, em atividades extraclasse definidas pelos professores e em eventos institucionais. Tudo isso possibilita o acesso e a inclusão dos alunos surdos, permitindo a interação entre alunos, professores e colegas”, reitera Kátia.

Cledineide de Jesus Silva é uma das pessoas que trabalha como intérprete na instituição. Para ela, o desenvolvimento do aluno acontece através das interpretações realizadas tanto em sala de aula como em oficinas , workshops, cursos e também em palestras, onde o aluno faz a sua inscrição e os intérpretes fazem com que o aluno tenha conhecimento e acesso aos conteúdos através da interpretação. “Me sinto realizada em saber que através do meu trabalho eu posso contribuir para que os alunos surdos possam realizar os seus sonhos, chegando a uma graduação onde também se tornam ótimos profissionais. Sempre ultrapassado as barreiras, os limites e principalmente o preconceito”, relata.

Atualmente pós-graduanda em Marketing e estratégia de comunicação digital, Paloma conheceu a Unit por meio de recomendações e destaca a importância da Universidade na sua vida. “Eu sempre tive o apoio da Unit e do Napps e sempre via o auxílio que era prestado a todas as pessoas com deficiência. Em qualquer horário que eu precisava dos intérpretes eles estavam disponíveis, tanto em cursos, aulas, minicursos e eventos. Minha vontade no futuro é me formar, ser boa profissional na área do Design Gráfico, abrir minha empresa e ajudar os outros surdos a mostrar que nós somos capazes”.

Leia Mais: Napps presta serviço de auxílio para a comunidade surda

 

Compartilhe: