V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Especialista explica como banho de mar e piscina influenciam nas alergias

Algumas atividades típicas do verão também podem ocasionar crises de alergia como rinite e asma, além de dermatites atópicas.

às 11h49
A coordenadora adjunta do curso de Medicina da Universidade Tiradentes (Unit), a professora doutora Maria Fernanda Malaman.
A coordenadora adjunta do curso de Medicina da Universidade Tiradentes (Unit), a professora doutora Maria Fernanda Malaman.
Compartilhe:

Muito comuns no inverno, as crises de rinite e asma também podem ser desencadeadas no verão. Com o aumento das temperaturas e o período de férias escolares, muitas pessoas são expostas a substâncias alérgenas e a ambientes que desencadeiam reações alérgicas, como casas que ficaram fechadas durante o ano inteiro e não tiveram a limpeza e a manutenção adequadas dos ar-condicionados ou ventiladores, têm mais contato com a água salgada do mar e ao cloro em banhos de piscina, contribuindo para o surgimento de sintomas como coriza, obstrução nasal e dor de cabeça, além de irritações na pele. 

Segundo a coordenadora adjunta do curso de Medicina da Universidade Tiradentes (Unit), a professora doutora Maria Fernanda Malaman, as atividades mais praticadas no verão influenciam nas crises alérgicas. “Quem tem rinite alérgica deve ter cuidado ao nadar em uma piscina que teve a água tratada com cloro. Apesar do cloro não ser um alérgeno, ele libera gases que irritam o nariz, os olhos e a pele quando está em contato com as impurezas da água”, alertou.

Para quem sofre com irritações na pele, o calor e o suor piora a situação. A dermatite atópica, por exemplo, se manifesta ainda na infância, principalmente, como lesões nas dobras dos braços e na parte de trás dos joelhos que causam inflamação e muita coceira. Por isso, é importante preparar a pele antes de entrar na piscina ou no mar e banhar-se após as atividades para retirar o excesso de suor, cloro ou sal.

“Antes de entrar na piscina ou no mar, deve-se hidratar profundamente a pele com hidratantes específicos para criar uma película protetora na pele. Também deve ser aplicado um protetor solar adequado para a pele dos atópicos, e reaplicá-lo a cada três horas ou a cada vez que sair da água. Além disso, sempre após praticar essas atividades, é aconselhável um banho para tirar o suor, com sabonetes adequados e aplicação de hidratantes específicos logo após o banho”, orientou.

Mesmo que as crises alérgicas atrapalhem o dia-a-dia não são impeditivos para deixar de praticar atividades físicas e de lazer, mas para isso é preciso redobrar os cuidados e procurar um médico para prescrever medicações e acompanhar a evolução do paciente. “O segredo para evitar crises e ter uma vida totalmente normal é realizar um tratamento preventivo adequado, seguir as orientações de seu médico e aproveitar a vida como deve ser, em qualquer idade. O tratamento deverá ser sempre individualizado, com medicamentos adequados para cada idade e gravidade da doença, evitando sempre os efeitos colaterais”, concluiu Malaman.

 

Leia também: Ambulatório de Medicina da Unit realiza atendimentos em diversas especialidades

Compartilhe: