V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Evento multidisciplinar debaterá temas relacionados à saúde da mulher 

Os debates pretendem alertar os profissionais e mulheres sobre a violência, as formas de auxiliar e denunciar os casos.

às 10h48
Compartilhe:

Nos dias 17 e 18 de setembro, a Universidade Tiradentes, por meio da Liga Acadêmica de Saúde da Mulher, realizará o I Simpósio Multidisciplinar relacionado à Violência da Mulher. A iniciativa acontecerá no formato virtual através da plataforma Google Meet.

O encontro tem como objetivo abordar a realidade das mulheres que sofrem a violência doméstica com um amplo debate voltado aos aspectos jurídicos, psicológicos, estatísticos e sociais.

“Desde que iniciou a pandemia do novo coronavírus, muitas mulheres passaram a ficar 24 horas do seu dia em casa, muitas vezes, com seus agressores. Este fato elevou a preocupação com a violência doméstica e familiar contra a mulher”, declara a professora da Universidade Tiradentes, doutora Licia Santos Santana.

“Pensando nisso, a Liga Acadêmica de Saúde da Mulher sentiu necessidade de tratar esse tema, alertar os profissionais e as mulheres sobre a violência, as formas de auxiliar e denunciar nesses casos”, acrescenta a docente.

Durante o evento, serão abordadas temáticas como Violência contra a mulher: problema de Saúde Pública, Aborto legal após Violência sexual, Violência Obstétrica, Papel Jurídico junto a vítima de violência doméstica, Violência contra a mulher e suas consequências psicológicas, Atendimento e acompanhamento a mulher vítima de violência, Atuação da fisioterapia em disfunções sexuais provenientes de violência sexual e Violência silenciosa ao feminicídio. Além disso, também haverá uma roda de conversa sobre a Lei Maria da Penha.

“É importante que a mulher saiba que existe vários profissionais trabalhando em conjunto para identificar os casos e que ela pode pedir ajuda para qualquer um deles”, enfatiza a docente da Unit.

“A partir do nosso encontro, vamos contribuir para que os profissionais de saúde comecem a refletir sobre esta problemática e passem a considerar pública, essa realidade encarada, até então, como privada”, finaliza.

 

Leia também:

Exigência de planos de saúde para inserção do DIU em mulheres casadas é abusiva

 

Compartilhe: