V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Foi dada a largada

Treino coletivo do grupo das Divas que Correm pelotão Aracaju aconteceu ontem, 12, na pista de Atletismo da Universidade Tiradentes.

às 14h59
Aos poucos elas iam chegando e a pista de atletismo da Universidade Tiradentes ganhava uma nova cor, predominantemente o rosa. Em um ambiente bastante descontraído, a animação parecia que era o fator de ordem para todo o grupo. Nem parecia ter sido tarefa difícil acordar às seis da manhã, em pleno feriado, para mais um treino. Para as Divas que Correm, pelotão Aracaju, isto realmente não foi problema. Elas deixam de lado o salto e calçam o tênis para mais um momento de integração.
Grupo posa para foto no estilo Usain Bolt,  velocista jamaicano, multicampeão olímpico e mundial (Foto: Arthuro Paganini)
Grupo posa para foto no estilo Usain Bolt, velocista jamaicano, multicampeão olímpico e mundial (Foto: Arthuro Paganini)
Foto: Arthuro Paganini
Aurora Caldas durante treino (Foto: Arthuro Paganini)
(Foto: Arthuro Paganini)
Grupo posa para mais fotos (Foto: Arthuro Paganini)
Rosa Nóbrega curte o treino coletivo (Foto: Arthuro Paganini)
Grupo animado para início do treino (Foto: Arthuro Paganini)
Professor Ricardo Otaviano explica sobre a pista de atletismo (Foto: Arthuro Paganini)
Treino coletivo do Grupo Divas que Correm, Pelotão Aracaju (Foto: Arthuro Paganini)
Compartilhe:

Com uma proposta de sair do sedentarismo e se movimentar, o estímulo entre as participantes também é fundamental. E disso, elas também entendem bem. Não precisa ser uma atleta profissional. A cada nova integrante, mais uma história de superação. É o caso das irmãs e fundadoras do grupo em Aracaju. As engenheiras, Aurora Caldas e Rosa Nóbrega somam mais de 35 kg eliminados. A corrida foi um fator determinante para esta conquista.

“Há quase dois anos descobri sérios problemas de saúde. Na época pesava mais de 100 kg e não aguentava fazer nenhuma atividade física. Minha irmã sempre me chamava para caminhar, mas não conseguia por causa do peso. Foi quando tomei a decisão de fazer algo por mim e para melhoria da minha qualidade de vida. Com o apoio de um profissional, comecei a caminhar. Com os resultados, fui ficando cada vez mais motivada e no ano passado fiz minha primeira corrida. Até agora já eliminei 20 kg, é uma vitória”, conta Rosa.

Aurora já tinha mais tempo de ligação com o esporte. Em 2011 começou a correr. Após dois anos, engravidou e chegou a pesar 102 kg após a gravidez. Descobriu o blog das Divas que Correm, iniciativa nacional, e encontrou a motivação para retornar à corrida. Já emagreceu 17 kg e ainda quer mais. No ano passado, entrou em contato com as responsáveis pelo grupo para abrir o pelotão aqui em Aracaju, primeiro do Nordeste. “A gente percebe que esta união e energia positiva contamina todo o grupo. Iniciamos as atividades do pelotão Aracaju em setembro e no mês seguinte participamos da Corrida do Outubro Rosa, nos engajamos em uma causa contra o câncer de mama e foi um marco. O nosso lema é correr por amor e o movimento ganhou mais força”, diz. Atualmente, o grupo, em uma rede social, soma mais de 200 integrantes.

O treino da manhã de ontem, 26, teve um fator especial. Elas “divaram” – assim elas relacionam alguns termos – em uma pista de atletismo com padrão internacional. Na ocasião, o professor de Educação Física, Ricardo Otaviano, que presta assessoria ao grupo, acompanhou as atletas e deu explicações sobre a pista. Com 6.570 m², a pista atende à norma alemã da Deutsches Institui Für Normung – DIN –, organização nacional na Alemanha para padronização. É a primeira do tipo a ser construída em Sergipe.

“A gente teve uma experiência diferente porque conheceu um pouco mais o que é o atletismo, os marcos mundiais e atletas da modalidade que também conseguiram se superar. A pista é maravilhosa. Esperamos treinar mais vezes”, destaca Aurora.

A “diva” Carol Fortes veio de São Paulo para Aracaju em virtude da transferência do marido. Já fazia parte do grupo na cidade que residia e encontrou na capital sergipana o acolhimento por parte das integrantes do grupo. Além disso, aproveitou o encontro para fazer um treino voltado a um concurso e teste físico que irá realizar. “Estou há cinco meses em Aracaju. O grupo me ajudou muito nesta adaptação inicial porque não conhecia nada por aqui. Elas me indicaram uma moradia, local de estudo para meus filhos. Foram as primeiras pessoas que conheci quando cheguei. Amei muito treinar aqui porque meu teste será em uma pista como esta. Foi essencial”, afirma a esportista que prestará concurso para área de perícia criminal em engenharia.

A atividade esportiva desenvolvida na Unit teve como objetivo estreitar o relacionamento da instituição de ensino com segmentos da sociedade e estimular o conhecimento de praticantes da modalidade acerca do parque esportivo.

Compartilhe: