V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Grupo Tiradentes segue rumo a Educação 3.0

Com tipo educacional, Grupo quer potencializar processo de ensino-aprendizagem e aumentar integração em sala de aula entre alunos, professores e tecnologia

às 14h34
Ricardo Santos chama atenção para a importância da adesão das instituições brasileiras de ensino para as novas tecnologias
Ricardo Santos chama atenção para a importância da adesão das instituições brasileiras de ensino para as novas tecnologias
Projeto sobre Educação 3.0 foi apresentada a representantes do Grupo Tiradentes
Compartilhe:
Projeto sobre Educação 3.0 foi apresentada a representantes do Grupo Tiradentes

Projeto sobre Educação 3.0 foi apresentada a representantes do Grupo Tiradentes

Com os avanços tecnológicos e a inserção de diversas ferramentas digitais no processo de aprendizagem em instituições de ensino superior do mundo, ensinar se tornou um grande desafio para profissionais da educação. A inserção dessas novas tecnologias na sala de aula resultou na Educação 3.0, uma evolução dos processos tradicionais de ensino-aprendizagem em que se utiliza ao máximo os benefícios da informática e telecomunicações para aumentar a eficiência operacional dos processos. E para acompanhar essas inovações no âmbito educacional, o Grupo Tiradentes está com um projeto de investimento neste tipo de tecnologia, voltado para toda a infraestrutura de redes do Grupo, tanto a cabeada, quanto wi-fi.

“Este é o futuro da educação no País. Nossa ideia é mostrar como a educação hoje precisa evoluir e de que forma a TI pode ajudar para que ela seja o impulsionador dessa nova tecnologia dentro da sala de aula”, afirma o diretor de Tecnologia e Informática do Grupo Tiradentes, Jones Emerson.

A metodologia utilizada na Educação 3.0 inclui aulas interativas, com uso da internet. Ela está alinhada a tecnologia para que professor e aluno possam interagir em sala de aula e consigam ter um conteúdo mais online, didático e de melhor qualidade. Segundo Jones, este processo beneficiará toda a comunidade acadêmica e está inserida em um segundo projeto da instituição aprovado para aplicação este ano, a ‘Pedagogia do Século 21’. “Na hora em que fazemos um investimento, uma modernização, temos que estar alinhados com o planejamento estratégico da instituição. O projeto trará um ganho enorme, tanto para os professores, quanto para alunos e colaboradores do corpo técnico-administrativo. Não queremos investir simplesmente em equipamentos, mas queremos agregar os equipamentos, sendo meio e auxílio para unir um pouco à tecnologia utilizada nas aulas”, afirma Jones.

Ricardo Santos chama atenção para a importância da adesão das instituições brasileiras de ensino para as novas tecnologias

Ricardo Santos chama atenção para a importância da adesão das instituições brasileiras de ensino para as novas tecnologias

Além da visita, desde o ano passado, de representantes do setor de TI do Grupo a outras instituições do Brasil que já usufruem desta tecnologia educacional, nessa quarta-feira, 14 de maio, profissionais da Diretoria de Graduação, Pós-Graduação, Educação a Distância, Diretoria de Pesquisa e Extensão e Tecnologia e Informática, acompanharam a palestra ministrada pelo especialista na área de educação e com experiência de 30 anos na indústria de TI e Telecom, no Brasil e América Latina, Ricardo Santos. Com a temática ‘Visão da Educação 3.0: qualidade e eficiência no ensino-aprendizagem’, o especialista enfatiza a importância do Brasil estar atento para tais transformações.

“Vivenciamos nos últimos quatro anos um crescimento exponencial de adoção de tecnologia na área de educação. Se o Brasil e as nossas instituições não adotarem rapidamente ficaremos condenados com as novas gerações. No país já existem muitos casos que considero bolsões de excelência, como por exemplo, a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo com um projeto de formação massiva de professores utilizando tecnologia de videoconferência; e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai/SC), onde grupos de alunos, em cima de uma metodologia chamada Problem Based Learning (PBL), trabalham com seus respectivos projetos e conseguiram maximizar o contato dos alunos quando têm dúvidas através de uma plataforma de tecnologia”, exemplifica Ricardo.

Apesar do projeto no Grupo Tiradentes ainda estar no início, a expectativa é que a implementação dessa tecnologia comece a curto e médio prazo. “Estamos trabalhando com algumas empresas de renomes, líderes no mercado.  A previsão é que consigamos aprovar este projeto até o meio do ano para começarmos a fazer toda a parte de instalação de equipamento. Em paralelo teremos o projeto do planejamento estratégico de pedagogia que estará interligando isso, para que em 2015 já termos algumas novidades com todo este formato das novas tecnologias”, conclui Jones Emerson.

Fotos: Marcelo Freitas

Compartilhe: