V E S T I B U L A R UNIT
MENU

O que é necessário para adquirir um seguro-saúde internacional

O seguro-saúde deve ser adquirido por qualquer pessoa que vai realizar uma viagem internacional, pois garante assistência médica caso seja necessária

às 20h32
Fazer um seguro-saúde para viajar ao exterior é útil em casos de despesas médicas que não estavam na programação e podem impactar no orçamento (Rodnae Productions/Pexels)
Fazer um seguro-saúde para viajar ao exterior é útil em casos de despesas médicas que não estavam na programação e podem impactar no orçamento (Rodnae Productions/Pexels)
Compartilhe:

O seguro-saúde é um item importante para quem quer viajar para fora do país. E para quem quer estudar ou morar fora, ele é essencial. Muitos países, principalmente os europeus, têm o seguro de saúde como exigência obrigatória para intercambistas, e por isso é preciso ter atenção na hora de comprar. De uma forma geral, o seguro-saúde internacional funciona como uma espécie de plano de saúde que possui tempo determinado, cobertura específica e é regido por contrato.

“É um documento essencial para qualquer viagem internacional para os estudantes e staff do Grupo Tiradentes. Essa cobertura é inclusive solicitada por instituições parceiras, para que sejam feitas mobilidades acadêmicas. Com o seguro-saúde, a pessoa física estará salvaguardada em casos de enfermidades e acidentes durante o período em que estiver no exterior, e poderá ter acesso facilitado à uma unidade de saúde que atenda ao plano contratado”, explica Júlia Gubert, assessora de Relações Internacionais do Grupo Tiradentes.

Como existe uma variedade de tipos, é aconselhável que se tenha atenção em todos os itens que são cobertos antes de contratar o seguro. “A seguradora prestará auxílio e cobrirá com os custos de eventuais enfermidades ou acidentes que necessitem de atendimento médico com a pessoa, de acordo com o período e país discriminados no contrato”, informa Júlia.

É possível, de forma complementar ao seguro, contar com o atendimento nos sistemas locais de saúde, isso se deve ao relacionamento internacional entre as nações. A assessora explica que o Brasil possui um acordo específico com Portugal, Cabo Verde e Itália, que garante aos brasileiros o acesso ao sistema de saúde dentro desses países. “Para ter acesso a esse direito, é necessário que, antes de viajar, seja solicitado o documento chamado de PB4 no site do Governo Federal”, detalha. 

Alguns governos possuem exigências específicas sobre o seguro-saúde de quem quer viver naquele país, dessa forma é prudente entrar em contato com algum profissional de seguros internacionais a fim de obter detalhes sobre a assistência e garantir a cobertura adequada. “O preço varia bastante, de acordo com o tempo que o estudante ficará no exterior, o país, o pacote do seguro, e a seguradora. A dica é comparar os preços das seguradoras, sempre atento ao período de estadia, ao território, e o tempo de cobertura do plano”, conclui Gubert.

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: