V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Ração de nutrientes e de exercícios

Para muitas pessoas a dicotomia existente entre a obesidade e o emagrecimento é motivo de permanente preocupação

às 14h10
Pesquisador considera indispensável que o indivíduo tome consciência sobre problemas que a obesidade pode causar, levando, inclusive, a óbito
Em sala de alua, discussão sobre o tema Obesidade e Emagracimento
Em sala de alua, discussão sobre o tema Obesidade e Emagracimento
O doutor Estélio exibe o seu livro sobre o tema
Alunos e profissionais na busca por alternativas
Compartilhe:

O assunto, tratado sob a ótica de apuradas pesquisas que buscam apontar para a sociedade contemporânea as graves consequências que o excesso de gordura pode provocar no indivíduo foi tratado na manhã deste sábado pelo professor doutor Estélio Dantas.

Destinado a alunos e profissionais da área da saúde, o curso ministrado pelo renomado estudioso e considerado um dos três melhores pesquisadores de Educação Física do Brasil, tratou exatamente do tema Obesidade e Emagrecimento.

Segundo o pesquisador esse é o mal do século uma vez que a população mundial está ficando cada vez mais gorda. Ao abordar o assunto e provocar a discussão entre os participantes do curso o doutor Estélio afirmou que a Organização Mundial de Saúde já entendeu que não há sistema de saúde que possa dar conta das morbidades associadas à obesidade.

“Se a população continuar engordando e a envelhecer (como é a tendência natural), todos os sistemas de saúde do planeta vão entrar em colapso” preconiza o doutor Estélio.

A obesidade provoca doenças terríveis e muitas vezes incuráveis como o câncer, a hipertensão, disfunções metabólicas, entre outras. A alternativa para a minimização desse problema é, na opinião do estudioso, conscientizar a população através da antecipação do problema discutindo com Fisioterapeutas, profissionais da Educação Física, Médicos, entre outros quais são as estratégias mais eficazes para a prevenção da obesidade.

Os meios de comunicação cumprem um papel fundamental nessa questão, diz o doutor Estélio, quando cumprem o seu papel de informar sobre as consequências da má alimentação, dos fast-foods e das dietas hipocalóricas. “Ainda assim, não existe contrapartida desses mesmos meios de comunicação em informar sobre a alimentação saudável e a atividade física, regular e espontânea”, pondera o professor que se mostra atento ao problema.

De opinião de que o ser humano precisa manter o equilíbrio sobre tudo o que é capaz de fazer, o doutor Estélio diz que a corpolatria (culto exagerado ao corpo) não é a alternativa para o problema da obesidade.

“Nós vamos envelhecer cada vez mais e para que isso ocorra de forma saudável, um dos pressupostos necessários é ter um percentual de gordura adequado, bem como uma quantidade de exercícios equilibrada”, finaliza o professor.

EDUCACAO_FISICA

Compartilhe: