V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Região nordeste sedia pela primeira vez o Seminário Internacional Paralímpico Escolar 2019


às 00h53
Ao lado da primeira vice-presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro Naíse Pedrosa, o doutor Diego Menezes abre oficialmente o evento
Ao lado da primeira vice-presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro Naíse Pedrosa, o doutor Diego Menezes abre oficialmente o evento
O palestrante de abertura, professor Jorge de Carvalho
A mesa solene composta por representantes institucioinais
Mais de 20 estados estão presentes na discussão pelo tema
Compartilhe:

O 2º Seminário Paralímpico Internacional 2019 reúne no Campus Farolândia durante os próximos dois dias especialistas no tema e autoridades que buscam alternativas para dar maior visibilidade ao atleta paralímpico. Com as presenças de representantes de 22 estados brasileiros e palestrantes internacionais, o seminário contempla uma programação formada por diversas conferências, mesas redondas, 12 minicursos e apresentação de trabalhos científicos.

O professor e vice-presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro Ivaldo Brandão fez a mediação da conferência de abertura, cujo tema Atividades Facilitadoras de Inclusão por Meio do Esporte Paralímpico na Escola foi proferido pelo professor Jorge de Carvalho diretor do Departamento de Desporto, do Instituto Português do Desporto e Juventude. Ao citar a importância do esporte desde a antiguidade o professor português ressalta que também os atletas paraolímpicos têm contribuído para dar maior visibilidade e utilidade às pessoas com deficiência. “É de fundamental importância a inclusão na escola desse assunto uma vez que dá visibilidade às pessoas que por diversas razões muitas vezes não aparecem por falta de oportunidade”, pondera.

Na opinião do representante do CPB, o 2º seminário representa o momento de consolidação de tudo aquilo que vem sendo realizado pelo comitê. “Fizemos o primeiro seminário há quatro anos e agora precisamos despertar o profissional que trabalha na escola para um problema que questiona o que a própria escola deseja fazer com a pessoa com deficiência”, explica ele lembrando que a Unit foi escolhida para sediar o evento pelo seu comprometimento com o tema e pela proposta do comitê de descentralizar as informações e a busca de oportunidades. “Vejo que a Unit tem essa porta de entrada de disseminação do conhecimento aqui no Nordeste”, acrescenta.  

A primeira vice-presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro Naíse Pedrosa considera que a realização do Seminário Internacional na região nordeste possui importância ímpar uma vez que a região sempre foi um celeiro de atletas paraolímpicos.

“Nós temos verdadeiros medalhistas que saíram do Nordeste. Isso vai facilitar a capacitação dos nossos profissionais para estarem começando a trabalhar na base que é o mais importante”, diz ela citando como exemplo de talento nordestino a atleta Edênica Garcia.

O presidente do Conselho Regional de Educação Física, professor Gilson Dória ressalta o fato de o seminário estar sediado pela primeira vez na região nordeste. “É importante por se tratar de um evento multidisciplinar com foco principal na área do atleta com deficiência. O Conselho vê como grande passo para fortalecer a inclusão na escola proporcionando a que um maior número de profissional possa atuar com o deficiente incluindo e possibilitando que ele tenha participação no desporto paraolímpico”.

“Mais uma vez a Unit é protagonista desse processo. A vinda para o nordeste do Comitê Paralímpico Brasileiro coloca a instituição na vanguarda desse movimento”, pondera o professor Estélio Dantas, responsável pela sensibilização para que o evento tivesse como palco da sua realização a IES sergipana.

Durante sua fala de abertura oficial do 2º Seminário o Pró-Reitor de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão da Unit e presidente do Instituto de Tecnologia e Pesquisa, professor Diego Menezes salientou a relevância do evento.

“Vale lembrar que, para além da formação desses profissionais cuja capacitação dará o aval para atuarem nas áreas mais afins, temos de despertar a consciência em todos os profissionais que aqui estão sendo formados ou mesmo os que retornam à instituição para se aperfeiçoar, a importância do seu comprometimento por meio das necessárias adaptações e da cultura de respeito ao próximo”, sugere o professor Diego.

Acesse aqui e acompanhe toda a programação!

Compartilhe: