V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Tese de doutorado defendida na Unit sobre práticas educativas do povo Xokó

As práticas educativas realizadas pelo povo Xokó dá origem ao livro ‘Povo Xokó: memória/identidade e educação’

às 16h37
A autora e  doutora em Educação, Valéria Oliveira
A autora e doutora em Educação, Valéria Oliveira
Imagem cedida por Valéria Oliveira
Imagem cedida por Valéria Oliveira
Compartilhe:

Promover o registro da memória e da identidade do povo Xokó é uma forma de reconhecer a contribuição deles na formação dos diversos aspectos da vida dos não indígenas. A professora doutora em Educação, Valéria Oliveira, lançou, em abril, o livro ‘Povo Xokó: memória/identidade e educação’, que é resultado da sua pesquisa Programa de Pós-Graduação em Educação (PPED) da Universidade Tiradentes.

“Nesta obra trato a educação de forma bastante ampla, compreendendo que, para além das práticas educativas institucionais, o Povo Xokó estabeleceu pontes entre o passado e o presente, através de seus rituais e de suas celebrações. Estas foram estratégias para transmitir e preservar suas tradições ao longo do tempo, sendo, portanto, práticas educativas”, afirma Valéria Oliveira.

Egressa do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPED) da Universidade Tiradentes, a doutora Valéria Oliveira, iniciou sua ligação com o povo Xokó ao assumir a disciplina Cultura afro-brasileira e indígena, no EAD da Unit.

“O interesse pelo tema surgiu da necessidade de pesquisar sobre cultura indígena em Sergipe com a finalidade de produzir material audiovisual para minhas aulas. Juntamente com a equipe do Complexo de Comunicação Social da Unit, fomos à Terra Indígena Xokó, em 2012, captar imagens e entrevistar indígenas da etnia Xokó. Lá fomos acolhidos por Apolônio Xokó, pelo cacique Bá e demais moradores. O resultado foi o documentário: Índios e missionários no sertão sergipano”, explica.

Segundo Valéria, após a primeira aproximação para a produção do documentário, surgiu uma relação de amizade, sobretudo com Apolônio Xokó que era o responsável pela ligação da comunidade não indígena às tradições da aldeia. “Foi a partir daí que iniciei constantes visitas técnicas para proporcionar aos estudantes da Unit a experiência de conhecer a terra indígena Xokó. Posteriormente, ao ingressar no programa de doutorado, tive a oportunidade de entrevistar diversas pessoas da comunidade e, assim, os laços se estreitaram”, relata.

A obra

Na obra, o leitor tem contato com os registros de falas de diversas pessoas da aldeia, algumas delas, in memorian. “Acredito que esses registros são extremamente importantes para que o Povo Xokó e futuras gerações conheçam mais sobre seus ancestrais. O livro também é importante para nós, não indígenas, pois são falas de resistência, que contam muito sobre a história de luta deste povo que não cansou de batalhar por suas terras e estabelecer estratégias para continuar existindo”, explica a autora.

O livro impresso pode ser adquirido com a autora por meio do perfil no instagram @livro_povoxokó. Já os interessados em adquirir o e-book, o download gratuito está disponível no site da Editora Olyver. Para Valéria Oliveira o objetivo maior da publicação é socializar esses conhecimentos.

 

Leia também:

Índios Xokós são tema de exposição na 12ª Semex

Compartilhe: