V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Covid-19: Tiradentes Innovation Center produz EPI para doação a profissionais da Saúde em SE

Até o momento, a iniciativa já possibilitou a fabricação de 150 protetores faciais e mais 500 viseiras (face shield). Novos materiais estão em testes para a fabricação de EPIs

às 00h13
Máscara com o suporte e a viseira
Máscara com o suporte e a viseira
Hospitais já estão usando EPIs farbricados no Tiradentes Innovation Center
Óculos são fabricados em impressora 3D
Face shield é tipo uma viseria que também é fabricada em impressora 3D
Profissionais da saúde utilizarão os óculos e viseiras
Suportes prontos
Compartilhe:

Com a escassez de Equipamento de Proteção Individual (EPI) no mercado para atender as unidades e profissionais da saúde em Sergipe durante a pandemia do Covid-19, o Tiradentes Innovation Center, localizado no campus da Unit Farolândia, busca por respostas. Com isso, o Centro de Inovação do Grupo Tiradentes somou a uma rede de proteção que congrega diversas instituições sergipanas, com o objetivo de EPIs para profissionais que atuam na linha de frente na saúde em Sergipe.

Essa mobilização que inclui Universidade Federal de Sergipe (UFS), Innovation Center, Instituto Federal de Sergipe (IFS) e SergipeTec, já possibilitou a fabricação de 150 protetores faciais e mais 500 viseiras (conhecidos como face shield). Tudo isso por meio da impressão 3D.

Idealizado pela professora Stephanie Kamarry, que coordena um trabalho social dedicado a crianças, o projeto “Cuidar de quem cuida da gente” tem como foco a preservação da saúde de profissionais que atuam em benefício da saúde da população. Os insumos são entregues à Secretaria de Estado da Saúde que faz a distribuição nas unidades de atendimento.

Segundo o diretor de Inteligência Competitiva e Inovação do Grupo Tiradentes, Domingos Machado, a rede reúne cerca de 50 impressoras 3D. “Nós começamos com duas impressoras e, na sequência dobramos a quantidade de equipamentos com o objetivo de atender essa demanda. Cada minuto é importante na luta contra a erradicação dessa pandemia”, disse.

Fabricação de EPI

No Innovation Center, os EPIs são produzidos no Espaço Maker, sob a coordenação de Marcelo Maynard. O trabalho é acompanhado pelo professor Dr. Richard Halti Cabral, coordenador do curso de Medicina e pela professora Wanessa Lordelo, diretora adjunta de Saúde da Unit.

Desde o início desta empreitada já foram fabricados mais de 150 protetores faciais, conhecidos como face shield, e mais 500 viseiras. Além disso estão sendo realizados testes de novos materiais de proteção com a produção de protótipos que serão validados pela Secretaria de Estado da Saúde.

As chamadas face shields são máscaras de proteção facial inicialmente projetadas e validadas por profissionais da República Tcheca, sendo agora replicadas em vários países e também por colaboradores aqui no Brasil.       A máscara é composta por um suporte, impresso em 3D, e por uma viseira de acetato ou pet. 

No Innovation Center, os EPIs são produzidos no Espaço Maker, sob a coordenação de Marcelo Maynart. O trabalho é acompanhado pelo coordenador do curso de Medicina da Unit, professor Dr. Richard Halti Cabral e pela diretora adjunta de Saúde da Unit, professora Wanessa Lordelo.

“No Tiradentes Innovation Center estamos produzindo os suportes em impressoras 3D e cortando as películas na máquina de corte a laser. Inicialmente, estávamos trabalhando com duas impressoras 3D imprimindo uma média de 10 suportes por dia”, relata Marcelo Maynart, coordenador do laboratório maker do Tiradentes Innovation Center.

Impressões 3D

Preocupado em colaborar ainda mais com a força tarefa de impressão dos suportes o Tiradentes Innovation Center adquiriu três novas impressoras aumentando a capacidade produtiva para 25 unidades por dia.

Já foram produzidos mais de 180 suportes e 800 viseiras e toda produção entregue ao Projeto Cuidar. Antes da entrega do EPI ao profissional médico a máscara passa por um processo de esterilização.  Após a impressão e corte, os materiais são enviados para uma linha de montagem que vai finalizar a máscara encaixando a viseira no suporte e colocando o elástico. Antes da entrega do EPI ao profissional médico a máscara passa por um processo de esterilização. 

Compartilhe: