V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Unit bem representada na pesquisa

Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação do Estado de Sergipe (Fapitec) premia docente, aluna e egressa Unit nas categorias ‘Pesquisador Sênior na Área de Engenharias e Ciências Exatas’, ‘Jovem Jornalista’ e ‘Pesquisador Junior’, respectivamente.

às 11h34
Compartilhe:
Secretário da Sedetec Sauminio Nascimento, coord Pesquisa Unit Andréa Versutti, coord. PEP Álvaro Lima, aluna Andréa Rosevell e o diretor-presidente da Fapitec José Ricardo de Santana

Secretário da Sedetec Sauminio Nascimento, coord. Pesquisa Unit Andréa Versutti, coord. PEP Álvaro Lima, aluna Andréa Rosevell e o diretor-presidente da Fapitec José Ricardo de Santana

O Programa de Engenharia de Processos (PEP), representado pelo coordenador do programa, Dr. Álvaro Silva Lima; o Programa de Saúde e Ambiente (PPSA), em destaque a egressa do mestrado Camila Dantas; e o curso de Jornalismo, através da aluna Andréa Rosevell, da Unit, comemoram o prêmio recebido na tarde dessa quinta-feira, 17 de outubro, pela Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação do Estado de Sergipe – Fapitec. A solenidade de premiação nas categorias Pesquisador Sênior na Área de Engenharias e Ciências Exatas; Pesquisador Júnior; e Jovem Jornalista, respectivamente, foi realizada no Quality Hotel Aracaju durante abertura da 9ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia – SNCT.

A acadêmica do 6º período de Jornalismo, Andréa Rosevell, produziu uma reportagem de divulgação científica baseada em pesquisas de docentes do Instituto de Tecnologia e Pesquisa – ITP – com abelhas no Laboratório de Estudos Biológicos e Produtos Naturais.

“Já vinha lendo muito sobre jornalismo científico, me interessando por pesquisas na matriz comunicação e estava procurando editais que englobassem ‘comunicação educação, internet e convergência’, temática que pesquiso. O Edital da Fapitec pareceu-me uma boa oportunidade. Foi um trabalho de um mês e de muita dedicação. Estudei muito. Minha missão era transformar em informação de consumo popular, fomentar inteligência científica. Mostrar a importância, com palavras fáceis, talvez, tenha sido o mais difícil. O prêmio era uma chance de testar minhas habilidades com jornalismo científico, além de um bom meio para divulgar as atividades do ITP. Estou bem contente com o resultado”, diz a estudante. Ela também aponta uma das questões que mais chamou atenção sobre o tema. “Como eu sabia que a utilidade dos insetos estava pautando muitos debates nesse meio, decidi por esse assunto. Descobri que o ITP trabalha veneno de abelhas para tratar o Parkinson e usa a própolis vermelha, para tratar câncer de boca. Os resultados são incríveis e eu precisava falar sobre isso”, acrescenta Rosevell, atualmente estagiária no Instituto.

A fisioterapeuta e Mestre em Saúde e Ambiente, Camila Dantas, também recebeu a premiação. Na categoria ‘Pesquisador Junior’, Camila trabalhou a temática ‘Análise Comportamental dos Efeitos da Administração da Apitoxina sobre o Sistema Nervoso Central’. Para ela, o prêmio representa o reconhecimento pelas pesquisas desenvolvidas durante o mestrado. “É o primeiro prêmio que recebo e a sensação é de muita alegria pelo reconhecimento de um trabalho realizado ao longo do meu mestrado, que teve orientação da Dr.ª Margarete Zanardo, Dr.ª Kátia Gramacho e apoio da Fapitec. A premiação também representa a relevância e a qualidade das pesquisas produzidas no ITP e na Universidade Tiradentes”, declara.

MAIS PRÊMIOS

Premiadas pela Fapitec Camila Dantas e Andréa Rosevell com coord. Pesquisa Andréa Versuti (ao centro)

Premiadas pela Fapitec Camila Dantas e Andréa Rosevell com coord. Pesquisa Andréa Versuti (ao centro)

Pela segunda vez o Programa de Engenharia e Processos da Unit recebe um prêmio da Fapitec. Em 2012, a equipe do Laboratório de Pesquisa e Alimentos foi contemplada com um prêmio na categoria Tecnologia Sociais. Este ano, o Programa foi contemplado na categoria Pesquisador Sênior na Área de Engenharias e Ciências Exatas. “É um reconhecimento importante do trabalho e de todos da equipe do Programa de Engenharia de Processos, que já é consolidado em Sergipe. Parabenizo o grupo por fazer um bom trabalho”, avalia o coordenador. O trabalho, produzido em parceria com alunos do doutorado do programa e inovador pela profundidade dos estudos, também foi publicado na revista internacional ‘Separation and Purification Technology’, publicação de grande impacto no mundo científico e referência na área de separação de biomoléculas.

“Nós utilizamos uma biomolécula padrão como a vanilina, que é um aroma para a indústria de alimentos. Começamos a verificar qual a capacidade de um sistema formado por dois líquidos  extrair esta biomolécula e separar para ela ir para uma fase ou outra. A ideia é uma biomolécula de interesse ir para uma fase e os contaminantes vão para outra, consequentemente tendo uma purificação. Então discutimos um sistema que fosse de fácil manipulação e de baixo custo”, explica o Dr. Álvaro Lima.

Fotos: Marcelo Freitas

Compartilhe: