V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Unit Carreiras promove bate-papo sobre a carreira militar na Marinha

Estudantes dos primeiros aos últimos períodos puderam conhecer mais sobre a Marinha e como ingressar na corporação.

às 14h06
Compartilhe:

Desde o primeiro período até o momento em que se forma na Universidade Tiradentes, o estudante e o egresso contam com um serviço voltado para a colocação e capacitação profissional. O Unit Carreiras promove regularmente bate-papos com profissionais de diversas entidades. Nesta quinta-feira, 2, oficiais da Marinha do Brasil apresentaram as formas de ingresso na corporação, que está com editais abertos para diversas áreas. A ação aconteceu na Arena do Tiradentes Innovation Center, no campus Farolândia.

“Esse movimento de trazê-los para a Unit foi um convite da Marinha para que fossem divulgados os editais que estão em aberto para ingressar na organização, como funciona toda a carreira militar e as possibilidades de crescimento de carreira dentro da corporação”, explica a coordenadora do Unit Carreiras, Maria Luísa Teodoro.

As áreas com vagas previstas são as engenharias, saúde, odontologia, medicina, psicologia, TI, educação física, entre outras. “São vários editais abertos e há ausência de pessoas de Sergipe querendo ingressar no serviço militar da Marinha. Então, inicialmente convidamos alunos dos últimos períodos e alunos que se formaram no segundo semestre de 2021, mas não tem problema que o estudante do 1º período participe porque aí ele já inicia um processo de entendimento de como o mundo funciona o mundo de possibilidades dentro da Marinha do Brasil e coloquem dentro do planejamento de carreira”, diz.

O estudante de psicologia, Davi Soares, é um dos interessados na carreira militar. “Desde o início do curso eu sempre procurei aquilo que não fosse muito óbvio. Então, qualquer tipo de oportunidade que a universidade traz para eu expandir os horizontes da minha área, estou dentro. Além disso, meu avô era da aeronáutica e sempre comentava comigo sobre como era ser militar e tudo mais. Então, eu vi que tinha um edital aberto para a área de psicologia na Marinha e pensei ‘por que não aprender mais um pouco, saber como é o processo e como o profissional da psicologia pode atuar nesse campo”, conta o acadêmico.

Para a engenheira civil Viviane Garcez, que faz parte da Marinha há sete anos, alcançou a patente de capitã-tenente. “Sempre tive admiração pelas forças armadas e eu vi uma oportunidade para entrar como engenheira. A Marinha possui duas modalidades: o curso para formação de carreira e o concurso para militar temporário, que se chama Reserva Militar da Segunda Classe, em que é possível ingressar já tendo graduação e pode permanecer até oito anos. Primeiro entra como guarda marinha e vai subindo de patente para segundo tenente, primeiro tenente, e no final, capitão-tenente no último ano”, explica.

“Dentro da instituição militar, trabalhando como engenheiro, você tem que agregar tanto os conhecimentos de engenharia quanto os conhecimentos também da área militar, seguindo o que aprende no curso de formação. É uma questão muito de hierarquia e disciplina. Com certeza é uma experiência única. Porque é completamente diferente você estar dentro de uma organização militar, é uma cultura completamente diferente do que a gente vê do meio civil”, conclui a capitã-tenente.

 

Leia também: Segundo idioma pode ser considerado um diferencial para o mercado de trabalho

Compartilhe: