V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Unit e Ministério Público Federal promovem debate sobre o assédio sexual

O tema violência de gênero ainda é motivo de muito silêncio. Em razão disso, uma programação elaborada pelo Ministério Público Federal coloca e discussão o assédio sexual dentro das academias.

às 18h25
NA linha de frente, profissionais que lidam com  questões pertinentes
NA linha de frente, profissionais que lidam com questões pertinentes
O público intercede
Compartilhe:

A questão do assédio sexual tem sido amplamente discutida entre a sociedade uma vez que se trata de um tema que prepondera entre estatísticas oficiais. Ele pode acontecer de diversas formas e representa violação grave podendo se manifestar de diversas formas e em diferentes momentos e lugares. A universidade enquanto espaço de agregação não está fora dessa realidade motivo pelo qual uma parceria firmada entre a Unit e o MPF resultou numa Audiência realizada no minishopping da Farolândia na noite da quinta-feira, 16. Durante o evento muitos estudantes questionaram e também apresentaram propostas para que o assédio sexual não ocorra dentro da universidade.

O encontro contou com as presenças de representantes do Ministério Público Federal, da OAB – Seccional Sergipe, através da Comissão de Defesa dos Direitos da mulher, do grupo e do corpo docente do curso de Direito da Unit.

“Desde o ano passado que iniciamos um trabalho de conscientização sobre o assédio sexual no meio acadêmico. O trabalho prossegue esse ano dentro dos campi universitários”, salienta a Procuradora Regional dos Direitos do Cidadão do MPF, advogada Marta Carvalho. Segunda a doutora Marta existem pesquisas que afirmam que num universo de quase duas mil universitárias de graduação e pós entrevistadas no Brasil, 67% afirmaram ter sofrido algum tipo de assédio sexual dentro das universidades.

Interessada pelo tema e pela busca de alternativas que contribuam para sua intervenção enquanto futura profissional da Advocacia, Jéssica Letícia Oliveira Santos observa avalia a programação da Audiência Pública como uma excelente oportunidade para dirimir dúvidas.

“O tema deve ser debatido em todos os âmbitos da nossa sociedade uma vez que as mulheres passam por isso diariamente e nós precisamos de apoio e propagar os conhecimentos adquiridos sobre como nos defender em situações de risco”

Ao ser abordado na academia de modo muito particular, o tema que incomoda tanto às mulheres quanto aos homens deve ser amplamente discutido na opinião do Pró-Reitor Administrativo e Financeiro da Unit, professor Josenito Oliveira Santos. “O momento é de reflexão, debate e divulgação. As pessoas precisam estar informadas de como devem se defender. E aqui estamos para dar o necessário apoio como instituição de ensino e para criar mecanismos que possamos mitigar casos que por ventura possam ocorrer”, conclui o professor Josenito.

Compartilhe: