V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Unit realiza roda de conversa com presidente do NBD

O presidente do Novo Banco de Desenvolvimento, Marcos Troyjo, falou sobre a ‘Nova Globalização e os Desafios do Brasil’.

às 13h51
Foto: Luiz Dinarte/CCS
Foto: Luiz Dinarte/CCS
Foto: Luiz Dinarte/CCS
Compartilhe:

Na tarde desta segunda-feira, 5, a Universidade Tiradentes (Unit) realizou em parceria com a TV Atalaia uma roda de conversa com o presidente do Novo Banco de Desenvolvimento (NBD), Marcos Troyjo, com o objetivo de contribuir com discussões relevantes para a sociedade sergipana. O economista, cientista político e diplomata, apresentou o tema ‘Nova Globalização e os Desafios do Brasil’.

“É pertinente para o momento ter a presença do Marcos Troyjo, uma pessoa que tem uma visão de mundo diferenciada, exatamente pela própria experiência dele como delegado do Brasil na Organização Nações Unidas [ONU] e transita por todos os países agora em especial pelos BRICS. Então, ele abrilhanta nossa tarde com essa visão, principalmente hoje fazendo parte de um banco de investimento com uma missão importante que é investir recursos naqueles países em desenvolvimento”, diz o vice-reitor da Unit, Uchôa Júnior. 

Segundo Troyjo, o cenário internacional está passando por uma quarta revolução industrial. “Estamos caminhando para uma mudança do poder mundial em que cada vez mais os chamados países emergentes (China, Índia, Indonésia, México, Rússia, Turquia e Brasil) vão ocupar um espaço maior e se tornarão mais influentes na maneira pela qual se define em termos de comércio, investimentos e geração de tecnologias, por isso é importante que o Brasil tenha uma estratégia para esse mundo que se cortina”, afirma.

“Obviamente esse é um mundo que traz desafios, mas traz também grandes oportunidades. Porque se é verdade que os mercados emergentes vão desempenhar um papel cada vez mais fundamental, em geral esses países têm grande contingente populacional e grande território. Portanto, eles podem ser um grande destino também de alguns dos produtos em que o Brasil tem grandes vantagens comparativas. No caso do setor de alimentos, essa é uma das razões pelas quais o Brasil tem batido recordes na exportação de alimentos e isso pode ser sem dúvida alguma uma das fontes para a geração de poupança e investimentos para promover cada vez mais o desenvolvimento da sociedade do Brasil”, ressalta.

De acordo com o presidente do Conselho de Administração da Petrobrás, Gileno Barreto, diante do novo mercado global, o ambiente acadêmico é essencial para a construção de um ambiente acadêmico em que as empresas possam crescer e empregar mais, com segurança jurídica para que os estrangeiros possam investir o novo capital.

“O futuro do Brasil está na universidade, nas escolas de primeiro e segundo grau, no ensino fundamental e médio, e principalmente no ensino superior. Se nós não estivermos juntos da academia, seja dos professores, sobretudo dos alunos, podemos transmitir essa experiência acumulada que temos para que os jovens possam alcançar o seu potencial”, diz.

Marcos Troyjo

Exerceu, entre janeiro de 2019 e junho de 2020, o cargo de secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia, foi um dos principais atores do acordo de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia e fundou o BRICLab, centro de estudos sobre o Brics na Universidade Columbia, nos Estados Unidos. 

Marcos Troyjo assumiu, em julho de 2020, a presidência do Banco dos Brics, cujo principal atributo é financiar projetos de infraestrutura nos países do bloco (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) e outras nações emergentes.

 

Leia também: Como o comércio exterior funciona e movimenta a economia do mundo

Compartilhe: