V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Como é o trabalho da Administração no Terceiro Setor

A gestão de entidades que não têm o lucro como parâmetro do sucesso é complexa e exige parâmetros diferenciados para a medição de resultados

às 19h58
O Terceiro Setor exige estruturas administrativas diferentes, capazes de verificar resultados, manter o equilíbrio das equipes e prestar contas de suas ações (Acervo Unit Sergipe)
O Terceiro Setor exige estruturas administrativas diferentes, capazes de verificar resultados, manter o equilíbrio das equipes e prestar contas de suas ações (Acervo Unit Sergipe)
Compartilhe:

Dentre as diversas áreas de atuação de um profissional graduado em Administração de Empresas, uma das mais complexas é o chamado Terceiro Setor. Este segmento é composto pelas Organizações Não Governamentais (ONGs) ou Sem Fins Lucrativos, as quais enfrentam desafios específicos que tornam sua gestão complexa e cheia de desafios, principalmente no setor financeiro. 

Diferentemente do Primeiro Setor, formado pelas entidades governamentais, e também do Segundo Setor, composto por empresas privadas, o Terceiro é formado por organizações de interesse público e ONGs, que têm o objetivo de trazer benefícios à sociedade através de ações e trabalhos voltados para causas como saúde, meio-ambiente, educação e outros temas.

A administração financeira é o principal ponto sensível do trabalho do gestor. A principal dificuldade está na hora de definir objetivos e metas mais claras, bem como no monitoramento de seu desempenho e na utilização de indicadores efetivamente adequados. Como não tem a geração de lucro como parâmetro, a ONG precisa criar outros indicadores para medir o sucesso de um processo ou uma ação.

Outros critérios

É preciso estruturas administrativas diferentes das do setor privado, que sejam capazes de verificar os resultados, manter o equilíbrio interno das equipes e, ao mesmo tempo, prestar contas de suas ações aos vários envolvidos. A busca por recursos é uma constante nestas entidades, que nem sempre veem suas atividades como um negócio e por isso as gerenciam com foco concentrado no atendimento ao público.

Um administrador do Terceiro Setor deve definir e buscar metas, objetivos, avaliação de resultados e de impacto, além do controle de orçamento, fluxo de caixa, financiamento a médio e longo prazo (captação de recursos), contabilidade, folha de pagamento, etc, assim como numa empresa convencional

Para ter credibilidade na sociedade, outra questão importante para o gestor é conhecer a legislação sobre o setor para lidar corretamente com as normas que regem a instituição. Além disso, a transparência é fundamental para angariar doações e parcerias que auxiliam a desenvolver ações sociais e voluntárias

Daí a importância de uma organização do Terceiro Setor ser administrada por um profissional capacitado em Administração de Empresas, nos mesmos moldes de uma empresa comercial. Além disso, é preciso conhecer bem a natureza do trabalho desenvolvido pela entidade sem fins lucrativos e ainda investir em uma especialização que amplie as habilidades para atuar no terceiro setor.

Asscom | Grupo Tiradentes 

Compartilhe: