V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Sergipanidade: artista busca fomentar a cultura do forró durante todo o ano

Idealizado por Bob Lelis, Projeto Rural do Forró realiza apresentações gratuitas de forró em espaços públicos também fora do ciclo junino

às 11h37
Bob Lelis - idealizador
Bob Lelis - idealizador
Compartilhe:

Viver o ‘País do Forró’ muito além dos 30 dias juninos. A cada novo ciclo festivo, quando sobretudo o Nordeste brasileiro se une em comemoração aos santos Antônio, João e Pedro, é perceptível o desejo dos sergipanos em poder desfrutar mais das nossas tradições culturais nas demais épocas do ano. Esse desejo também sempre se fez presente no artista, compositor e músico, Bob Lelis. Natural de Aracaju, apaixonado por nomes como Clemilda, Rogério e Ismar Barreto, no ano de 2017 decidiu criar o projeto itinerante ‘Rural do Forró’. Neste mês de julho o trabalho foi pausado, mas com a garantia de retornar já a partir da próxima segunda-feira, 01 de agosto.

“Me autodenomino um agitador cultural. Muito antes de pensar, desenvolver e dar vida real a este projeto, entre 2012 e 2014 pude participar e acompanhar, também, de uma série de manifestações públicas em homenagem à nossa rainha, Clemilda. Uma figura importantíssima para o nosso estilo musical que nos move a cada ciclo junino. A ideia da Rural do Forró é não deixar morrer essa nossa essência. Não dá para pensar e viver o forró, baião, xote, e as quadrilhas apenas de 30 de maio a 31 de junho”, destacou.

Sempre contando com a participação de outros artistas genuinamente sergipanos, as atividades costumam acontecer sempre em praças públicas, centros educacionais e Orla de Atalaia. Na 13 de Julho, Parque da Sementeira e Parque da Cidade, o fluxo é menor por necessitar de permissão prévia por parte da administração municipal. Ministrado pelo professor Raffael Geraldo, integrante do grupo Forró 079, as atividades coordenadas por Bob costumam oferecer aulas teóricas e práticas sobre a história do forró. Durante a pandemia provocada pela Covid-19, as atividades foram integralmente suspensas, e retomadas apenas no mês de abril deste ano.

“Foi e ainda está sendo um baque danado. Os dois anos sucessivos de caos causado pelo coronavírus fez com que milhões de artistas sentissem diretamente as dificuldades extremas. Aqui em Aracaju e Sergipe como um todo não foi diferente. Criamos a Rural em 2017 e logo no primeiro semestre de 2020 fomos obrigados a parar todo o trabalho que vínhamos desenvolvendo”, destacou. Nessa retomada das atividades mundiais, a perspectiva de Bob Lelis é multiplicar as parcerias e conseguir, enfim, ampliar o calendário ao longo dos próximos dez meses.

“Vamos conseguir fazer com que o País do Forró realmente seja o ano inteiro, ou que se aproxime disso. Devido as chuvas mais frequentes, e por nosso trabalho acontecer em espaços abertos, o jeito é suspender em julho, mas voltar em agosto. Na semana que vem teremos atividade pulsando cultura pela cidade”, concluiu Bob Lelis. 

Para acompanhar o trabalho desenvolvido pela Rural do Forró basta seguir a página: @bob_lelis_oficial no Instagram.

Leia também: https://portal.unit.br/blog/noticias/a-preservacao-do-patrimonio-e-da-cultura-no-grupo-tiradentes/

Compartilhe: