V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Sociedade pós-moderna depende da informática até para atividades cotidianas

Várias empresas usam a informática para desenvolver soluções que facilitem a vida das pessoas; 15 de agosto marca a criação do primeiro computador digital da história

às 21h05
O Computador e Integrador Numérico Eletrônico (ENIAC), primeiro computador digital do mundo, desenvolvido em 1945 (ARL Technical Library/U.S. Army)
O Computador e Integrador Numérico Eletrônico (ENIAC), primeiro computador digital do mundo, desenvolvido em 1945 (ARL Technical Library/U.S. Army)
Compartilhe:

Potencializar as capacidades de comunicação, pensamento e memória é tarefa da informática, palavra criada da junção entre informação e automática, devido à necessidade de se fazer o tratamento da informação de forma automatizada. É uma área de informação que inclui coleta, manipulação, armazenamento, transmissão e processamento de informação digital. Estão incluídos neste campo a ciência da computação, os sistemas de informação, a teoria da informação, o processo de cálculo, a análise numérica e os métodos teóricos da representação dos conhecimentos e da modelagem dos problemas.

Bastante importante para a sociedade pós-moderna, o Dia da Informática é comemorado em 15 de agosto, em homenagem ao Computador e Integrador Numérico Eletrônico (ENIAC), o primeiro computador digital do mundo, criado para desenvolver os cálculos das tabelas balísticas para o exército norte-americano durante a Segunda Guerra Mundial. Mesmo com limitação de memória, o aparelho tinha capacidade de processamento de 5 mil operações por segundo, possuía 17.468 válvulas de 160 watts de potência e pesava cerca de 30 kg. Isso fazia com que ele necessitasse de uma grande quantidade de pessoas, as quais percorriam longas filas de interruptores para executar as instruções. 

“Outras arquiteturas computacionais surgiram na mesma época do ENIAC e faziam parte da primeira geração de computadores. Um dos expoentes da informática foi Von Neumann, que criou um modelo arquitetural em que o computador poderia armazenar dados e realizar instruções como cálculos, servindo de base para outros computadores que surgiram no decorrer dos anos. Entre as décadas de 70 e 90, a Intel criou os microprocessadores e possibilitou os computadores domésticos”, contextualiza o professor Milton Vinícius Moraes de Lima, dos cursos de Análise e Desenvolvimento de Sistema (ADS) e Engenharia Mecatrônica do Centro Universitário Tiradentes (Unit Pernambuco), destacando que “a informática evoluiu de forma exponencial nas duas últimas décadas”

Atualmente, com o rápido crescimento da Internet das Coisas (IoT), até objetos domésticos podem transmitir dados e informações, conectando smartphones, TVs, geladeiras, carros e vários outros dispositivos à internet e várias empresas dedicam esforços para desenvolver soluções que possam resolver problemas mais simples na vida cotidiana de cada indivíduo, ou problemas complexos de grandes empresas. Essas empresas apostam em soluções com Inteligência Artificial (IA) e na IoT, que permitem interação e conexão entre objetos e pessoas.

“Muitas de nossas ações do dia a dia são baseadas em dados em tempo real que coletamos e nos mantêm atualizados. Um bom exemplo disso é o uso de um aplicativo para a escolha da melhor rota de trânsito. Através de dados transmitidos, podemos seguir por um caminho mais tranquilo. A informática também está presente em várias áreas do conhecimento, nos hospitais, bancos, transportes, escritórios, casas, indústrias, trânsito, etc.”, exemplifica Milton.

Outra área para a qual a informática traz benefícios e desafios é a educação, a partir de novas possibilidades geradas pela interação entre o digital e o presencial. “Ela pode gerar desafios para os alunos e promover novas habilidades para resolução de problemas, habilidades na pesquisa e desenvolvimento do intelecto pessoal. Tem o papel fundamental de abrir novas portas para o conhecimento e ser ferramenta pedagógica indispensável do professor, pois auxilia no compartilhamento de conhecimento e ideias, mesmo que estejam, professor e aluno, longe geograficamente”, completa o professor.

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: