V E S T I B U L A R UNIT
MENU

As principais dicas de preparação para quem quer estudar no exterior

Programas de internacionalização da Unit são acessíveis, mas alunos com maior média, conhecimento do idioma e mais atividades extracurriculares têm mais chances

às 21h09
Preparativos aumentam chances dos alunos participarem de programas acadêmicos mantidos pelos parceiros do Grupo Tiradentes no exterior
Preparativos aumentam chances dos alunos participarem de programas acadêmicos mantidos pelos parceiros do Grupo Tiradentes no exterior
Compartilhe:

O ano de 2021 está terminando e muita gente já começa a planejar os estudos e projetos a serem realizados em 2022. Para quem já está na universidade, suscita-se o bom e velho sonho de estudar no exterior, mas também aparecem as dúvidas sobre como se preparar para este fim, seja através de um programa de intercâmbio ou de mobilidade acadêmica. No Grupo Tiradentes, essas atividades de internacionalização têm alguns critérios pré-definidos, o que permite ao estudante se programar e se preparar da melhor forma para realizar esse sonho e agregar ainda mais conhecimentos para a vida acadêmica, profissional e pessoal. 

Para quem quer entrar em um dos programas de internacionalização do Grupo Tiradentes, uma das principais recomendações é manter a média geral de seu curso acima de 7, com o objetivo de sempre se destacar nas notas. A média de cada aluno é usada como critério de mais peso nos processos de seleção, servindo para desempatar uma eventual disputa por bolsas ou vagas. Quanto maior a média das notas, melhor o desempenho e mais chances de sucesso nos programas. 

Outra recomendação é aprofundar os estudos em um segundo idioma, de preferência o inglês ou o espanhol. Segundo a assessora de Relações Internacionais do Grupo Tiradentes, Júlia Gubert, os programas de internacionalização não pedem que o estudante seja fluente em uma das línguas, mas sim que ele cumpra os requisitos mínimos colocados pelas instituições parceiras. “Além disso, algumas palestras, cursos e oportunidades podem ser em inglês e o conhecimento prévio é muito benéfico para o estudante, não só pensando nas oportunidades da internacionalização, mas em todo o desenvolvimento profissional”, orienta

Incrementar o currículo também é algo que pode ajudar na preparação. O aluno deve participar ao máximo – e com bom desempenho – de atividades acadêmicas que não se restringem à sala de aula, como pesquisa, extensão, monitoria ou organização de eventos, entre outros. “Nossos processos seletivos buscam sempre encontrar estudantes engajados, que são parte ativa da comunidade e da universidade”, acrescenta Júlia, tomando como exemplo o ProMAI (Programa de Mobilidade Acadêmica Internacional), que considera atividades extracurriculares apresentadas pelo estudante em sua pontuação.

Outras informações e orientações estão disponíveis nas Diretorias de Relações Internacionais da Universidade Tiradentes (Unit Sergipe) e dos Centros Universitários Tiradentes (Unit Alagoas e Unit Pernambuco), que ainda mantêm suas páginas atualizadas com informações importantes para o aluno. Também é possível acessar os sites de Relações Internacionais ou do Tiradentes Institute, unidade do Grupo Tiradentes em Boston (Estados Unidos), além de uma sala virtual no Google Classroom, aberta para dúvidas e esclarecimentos. 

As Diretorias de Relações Internacionais das Units podem ser encontradas nos seguintes locais:  

  • UNIT-SE: Campus Aracaju Farolândia, Bloco F, sala 05
  • UNIT-AL: Campus Amélia Maria Uchôa, Sala do Unit Idiomas, Bloco A, sala 04
  • UNIT-PE: Unidade Nossa Senhora do Carmo, no Recife

Asscom | Grupo Tiradentes 

Compartilhe: