V E S T I B U L A R UNIT
MENU

Covid x Mercado: perda de capital humano gera prejuízos além dos financeiros

Perda de capital humano ocasionada pela pandemia é imensurável, diante da interrupção de histórias e trajetórias profissionais

às 17h36
Pesquisa aponta que as mortes de pessoas com idade entre 20 e 69 anos causa perdas de capital humano e um prejuízo de R$ 5,9 bilhões por ano
Pesquisa aponta que as mortes de pessoas com idade entre 20 e 69 anos causa perdas de capital humano e um prejuízo de R$ 5,9 bilhões por ano
Compartilhe:

Um retrato de um Brasil mais pobre em todos os sentidos. Essa é a constatação de especialistas a respeito das 470 mil vidas perdidas por causa da Covid-19 nesses 15 meses de pandemia no país. O olhar a respeito da perda de capital humano, indica prejuízos que vão muito além dos financeiros para o mercado de trabalho, para a geração de conhecimento, entre tantos outros aspectos.

O fato é que a pandemia fez, e infelizmente continua fazendo, muito mais do que vítimas, deixando um enorme vazio que está aquém do afetivo para milhares de famílias diretamente impactadas. Eram vidas, histórias que foram interrompidas de pessoas com trajetórias profissionais, com habilidades, conhecimentos, as quais estavam em sua maioria em idade produtiva. Esse capital humano, é imensurável e porque não dizer uma perda irreparável em todos os sentidos.

Um estudo realizado por economistas do FGV Ibre identificou que a perda financeira gerada com a morte de pessoas com idade entre 20 e 69 anos é de R$ 5,9 bilhões por ano.

“Um levantamento preliminar publicado pelo Instituto Brasileiro de Economia, em outubro de 2020, dizia que dos quase 160 mil mortos pelo Covid-19 no Brasil eram filhos, pais, mães e avós. Mas também eram professores, médicos, enfermeiros, engenheiros, prestadores de serviços ou aposentados pensionistas, por exemplo, que contribuíam para o sustento de suas famílias e para movimentar a economia do país. Das 63,2 mil pessoas entre 20 e 69 anos (ou seja, em idade produtiva), que haviam morrido de Covid-19 até 6 de outubro tinham rendimentos mensais estimados em R$ 108,6 milhões. Por ano, elas geravam estimados R$ 1,3 bilhão. Claro que, caminhando para quase um ano após este levantamento, estes números só pioraram”, destaca Werson Kaval, professor de MBA e Pós-Graduação nas áreas de Empreendedorismo, Inovação, Planejamento Estratégico e Gestão de Negócios/Startup’s da Unit Pernambuco.

Além dessas em idade ativa, a pesquisa também levou em consideração o panorama de famílias onde idosos aposentados eram quem davam sustentação financeira e que com a morte dessas pessoas, todo o núcleo familiar foi impactado com a perda desta importante fonte de renda.

“Enfim, uma das definições de ‘sabedoria’ é que é a experiência colocada em prática, assim, é possível concluir quantos anos de sabedoria pessoal, profissional e social foram perdidos com as pessoas que partiram por causa da pandemia, reafirmando o conceito do “Ichigo-ichie” de que não apenas os encontros são únicos, mas as pessoas também são únicas. E mesmo sabendo da imposição do mercado que diz que ninguém é insubstituível, a verdade é que muitos, ou mesmo, todos são indispensáveis”, ressalta o professor. 

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: