V E S T I B U L A R UNIT
MENU

O papel da Enfermagem na assistência ao paciente que passa por cirurgias

A ciência do cuidar mantém o foco nas necessidades do paciente e não na doença; trabalho da Enfermagem é fundamental para dar-lhe tranquilidade

às 20h58
Presença e atuação do profissional de Enfermagem é importante para tranquilizar o paciente na realização das cirurgias (Reprodução/Cofen)
Presença e atuação do profissional de Enfermagem é importante para tranquilizar o paciente na realização das cirurgias (Reprodução/Cofen)
Compartilhe:

Só quem já passou por algum procedimento cirúrgico sabe o quão tensa pode ser esta experiência. A começar pela notícia em si, que muitas vezes é inesperada, pois geralmente ninguém está preparado para ela. Começam aí as preocupações e angústias. Por mais simples que pareça a cirurgia, ela não afasta a situação de risco e a inevitável apreensão, que aumenta quando o paciente é internado. O medo é muitas vezes a principal companhia, ainda que diferenciados trabalhadores de saúde façam parte do ambiente. 

Nessas horas, o profissional pode fazer muita diferença na vida de uma pessoa, se ele conseguir passar da simples execução da técnica para tentar compreender o sentimento do paciente. Além da verificação dos sinais vitais e dos exames pré-operatórios, também integra o atendimento saber preparar o paciente psicológica e fisicamente para o ato cirúrgico

Até porque é preciso estabilizar algumas condições que podem interferir na recuperação. O nervosismo que a situação causa pode interferir na pressão arterial, por exemplo. Por esse motivo, também faz parte da assistência da enfermagem perioperatória o auxílio ao paciente em sua ansiedade. O perioperatório é o lapso de tempo que envolve o ato cirúrgico e está subdividido em três etapas: pré-operatório, operatório e pós-operatório.

Assistência sistematizada

As funções exercidas pela enfermagem desde a sua origem multiplicaram-se com o passar do tempo, deixando de ser apenas curativa e ganhando dimensões preventivas e de reabilitação. O foco das intervenções prescritas são aquelas que atendem as necessidades de quem está prestes a passar na mesa de operação, ou seja, está centrado no paciente, com o objetivo de promover, manter e recuperar sua saúde.

Às enfermeiras e enfermeiros, cabe o trabalho de planejamento, organização, coordenação e avaliação dos serviços. Atualmente, existe uma Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE) que deve ocorrer em toda instituição de saúde, pública e privada, conforme resolução do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen). 

Já a metodologia utilizada com o paciente cirúrgico, a Sistematização da Assistência de Enfermagem Perioperatória (SAEP), é utilizada para planejar um cuidado individualizado, de acordo com cada tipo de cirurgia. Também é uma ferramenta para favorecer uma maior interação entre enfermeiro e paciente, com o objetivo de qualificar a assistência. Este planejamento possibilita ainda que as intervenções atendam às reais necessidades do paciente, e não fique centrado somente na doença. Isso ajuda a minimizar a ansiedade e os riscos inerentes ao procedimento anestésico cirúrgico.

Atenção e cuidado

O valor das orientações no pré-operatório tem sido reconhecido pela equipe cirúrgica, pelos benefícios comprovados quanto aos efeitos positivos na recuperação do paciente, em quesitos como função ventilatória, capacidade funcional e física, sensação de bem estar e duração da internação. Por isso, cada paciente deve receber orientações individualmente, observando suas preocupações ou necessidades particulares.

Os cuidados da enfermagem cumprem normas e rotinas. Porém, os especialistas recomendam que os profissionais interessados na melhoria da qualidade de seu trabalho, e que se preocupam em atender às reais necessidades do paciente frente ao procedimento anestésico cirúrgico, devem adquirir conhecimento científico para fundamentar a prática perioperatória.

Asscom | Grupo Tiradentes

Compartilhe: